Advogado é morto por não conseguir tirar traficantes da prisão

Foi morto porque não conseguiu tirar o comparsa dos seus clientes.

A investigação sobre a morte de um advogado, que defendia traficantes, confirmou que ele foi morto pelos próprios clientes. Os criminosos estão sendo procurados pela polícia. Roberto Viegas Rodrigues, de 26 anos, desapareceu no dia 22 de dezembro do ano passado.

Ele era advogado e foi ao Morro do Dezoito, em Água Santa, encontrar com um cliente: o traficante Jean Carlos Nascimento dos Santos, conhecido como ‘de menor’. Desde aquele dia, Roberto não voltou mais pra casa. Jean tem 25 mandados de prisão, por crimes como homicídio e roubo, e é considerado o chefe do tráfico de drogas naquela comunidade.

A Delegacia de Descoberta de Paradeiros concluiu que o advogado foi assassinado pelos próprios clientes porque não conseguiu libertar dois comparsas deles que estão presos. “Ele havia se comprometido, já havia recebido o dinheiro inclusive pra que dois traficantes da mesma facção, fossem soltos até o dia 21 de dezembro de 2015. Isso não aconteceu, eles não foram soltos. Ele viu que ia morrer, ele conseguiu tomar a arma de um traficante, conhecido como Diguinho e matou esse traficante. Após a morte desse traficante, ele foi morto por outros traficantes”, disse a delegada Elen Souto.

O carro de Roberto foi encontrado numa das entradas do morro do Fubá, em Cascadura, que é dominado por uma facção rival. Mas a polícia descobriu que foram os próprios traficantes do Morro do Dezoito que abandonaram o veículo lá pra despistar os investigadores.

Jean Carlos Nascimento dos Santos e outro traficante, Claudio Rosa dos Santos, foram indiciados por homicídio e ocultação de cadáver.

Advogado morto por traficantes (Crédito: Reprodução)
Advogado morto por traficantes (Crédito: Reprodução)


Fonte: Com informações do G1