Advogado pede liberdade para enfermeira suspeita de injetar sedativos em onze bebês

O hospital realizou uma série de exames e chegou a desconfiar de contaminação da água

O advogado da técnica de enfermagem que foi presa nesta sexta (13) em Canoas (RS), suspeita de injetar sedativos em bebês recém-nascidos sem autorização dos médicos, disse ao G1 que pediu neste sábado (14) liberdade provisória para sua cliente.

"Estão linchando a moça", diz Sérgio Assumpção, que representa a técnica de 25 anos. Segundo o advogado, ela foi presa em flagrante, que "foi homologado pela juíza de plantão e baseado em um suposto depoimento informal dado à polícia".

O pedido de liberdade provisória, diz Assumpção, se baseia no fato de que a prisão foi "ilegal". Ainda segundo o advogado, o pedido de liberdade provisória foi feito no foro de Canoas, mas só será analisado na segunda-feira (16) e portanto sua cliente segue presa.

Onze crianças foram para a Unidade de Terapia Intensiva de um hospital, entre 5 e 13 de novembro. Segundo a diretora da unidade de saúde, a pediatra Eleonora Gehlen Walcher, elas apresentavam dificuldades para respirar e nove chegaram a precisar de ventilação, mas nenhum corre risco de morte.

O hospital realizou uma série de exames e chegou a desconfiar de contaminação da água e até envenenamento. O centro obstétrico fechou. O resultado dos testes apontou a presença de sedativos. O hospital suspendeu, temporariamente, o atendimento a gestantes em trabalho de parto.

Eleonora disse ao G1 que a técnica trabalhava no local havia dois anos e nunca havia apresentado problemas graves. O Conselho Regional de Medicina e a polícia acompanham o caso.

Fonte: g1, www.g1.com.br