Agressores da avenida Paulista teriam atacado jovem em uma boate

Agressores da avenida Paulista teriam atacado jovem em uma boate

“Eles praticamente passaram a noite praticando agressões dessa natureza, disse delegado

Os quatro adolescentes suspeitos de envolvimento em atos de agressão a jovens na Avenida Paulista no dia 14 de novembro teriam agredido outra vítima na madrugada do mesmo dia em uma boate na Avenida República do Líbano, em Moema, na Zona Sul de São Paulo. A informação foi dada pelo delegado Renato Felisoni, do 5º DP da Aclimação, na região central, que investiga o caso, nesta terça-feira (23).

?Ouvimos a vítima que foi agredida em uma danceteria em Moema. E também a agressão se deu sem provocação?, disse Felisoni. Segundo ele, a vítima fraturou o maxilar, foi atendida no Hospital Nove de Julho e precisará passar por tratamento, que durará dois meses.

?Eles praticamente passaram a noite praticando agressões dessa natureza, sem provocação nenhuma, por mero sadismo?, completou o delegado.

A Polícia Civil de São Paulo aguarda o recebimento de um mandado da Justiça para apreender os quatro adolescentes. A Justiça determinou nesta terça-feira (23) a internação na Fundação Casa dos quatro jovens. Até a manhã desta quarta-feira (24), porém, os adolescentes ainda não haviam se apresentado.

Eles devem responder internados na instituição para menores infratores por tentativa de homicídio, lesão corporal e roubo. O pedido da Promotoria da Infância e Juventude foi motivado pelas imagens divulgadas pela polícia na quinta-feira (18).

A decisão não inclui o quinto envolvido nas agressões, um rapaz de 19 anos. Entretanto, a polícia quer ouvi-lo novamente porque, segundo os policiais, as declarações prestadas por ele não condizem com as imagens. Os cinco já haviam sido detidos, mas foram liberados por determinação da Justiça.

Os adolescentes podem se apresentar na delegacia ou podem ser apreendidos em outro local. Em seguida, serão encaminhados para o Instituto Médico-Legal (IML) para fazer o exame de corpo de delito e serão encaminhados para a Fundação Casa no Brás, Centro de São Paulo. Depois, o juiz decide para qual das sete unidades de internação provisória eles serão encaminhados.

Novas imagens

Também nesta terça, novas imagens das agressões foram divulgadas. Uma câmera de segurança flagrou a primeira agressão. A vítima está parada à espera de um táxi perto da estação Brigadeiro do Metrô quando o grupo de adolescentes chega batendo. O rapaz é atingido com vários chutes até desmaiar. Um amigo da vítima contou à polícia que os agressores achavam que os dois fossem namorados.

As imagens do circuito de câmera de segurança de um prédio que foram divulgadas pela polícia exibem o momento em que um rapaz foi agredido na Avenida Paulista. Um dos agressores o ataca com uma lâmpada fluorescente. Em seguida, a vítima é atacada novamente com mais uma lâmpada e só então reage às agressões.

Depoimento

A polícia investiga se o ataque ao rapaz teria sido motivado por homofobia. Duas das vítimas devem ser ouvidas pela polícia nesta quarta-feira (24). O advogado dos adolescentes alegou, na ocasião, que eles participaram de uma briga.

Fonte: g1, www.g1.com.br