Agressores de estudante gay ganham liberdade

Justiça autoriza libertação de dupla que espancou estudante gay em São Paulo

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ/SP) determinou na última terça-feira, 29 de janeiro, a libertação do personal trainer Diego Mosca Lorena de Souza, um dos dois acusados de agredir o estudante de Direito André Cardoso Gomes Baliera. André foi espancado por Diego e Bruno Portieri em 3 de dezembro do ano passado na Avenida Henrique Schaumamn, Zona Oeste da capital paulista. A decisão do TJ vale também para Bruno.



No pedido de habeas corpus que levou à Justiça, o advogado do personal trainer, o criminalista Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, alegou que os laudos periciais pedidos pelas autoridades que investigam o caso não foram concluídos. "Não há elementos que definem se houve mesmo tentativa de homicídio ou foi só (um caso de) lesão corporal", disse.

Ao conceder a liminar que autorizou a libertação, o desembargador Newton Neves afirmou que existe um conflito sobre o tipo de acusação que pesa sobre os dois. Para o magistrado, "é preciso cautela e análise de fundo dos documentos e teses apresentadas, a fim de se evitar prejuízo a ampla defesa e contraditório o que, por si só, justifica a concessão da liminar pleiteada".

Ainda segundo o advogado, os dois acusados têm emprego fixo e residência conhecida. "Além disso, acrescentei ao pedido um abaixo assinado com 300 assinaturas de pessoas que conhecem os dois e os defendem."

Fonte: Mix Brasil