Alguns crimes ainda estão sem solução no Piauí; confira

Alguns crimes ainda estão sem solução no Piauí; confira

A demora tem chamado a atenção da sociedade

Alguns crimes tem chamado a atenção da sociedade pela demora na apresentação da solução no Piauí.

Na região de Picos, dois crimes considerados de pistolagens estão ainda sem solução: um deles, é o assassinato da funcionária pública, Francisca Ione, morta no dia 30 de janeiro de 2013. O caso começou a ser investigado pelo delegado regional de Picos, mas foi transferido para a Delegacia de Homicídios, em Teresina.

Outro homicídio ainda não esclarecido foi o do cantor Edimar Bringel, ocorrido em 15 de maio de 2013. Ele foi executado a tiros quando se encontrava em um bar na cidade de Picos. O assassino chegou em uma moto e foi direto para o local onde se encontrava o cantor e efetuou o crime.

Nas águas do Rio Poti foram encontradas partes do corpo de uma mulher no dia 14 de janeiro de 2014 que ainda está sem identificação. Um trabalhador de uma draga percebeu algo estranho em uma sacola e levou o objeto para as margens do rio. Ele chamou a polícia para verificar o que era, e, para a surpresa de todos, existiam partes do corpo de uma mulher.

Mesmo depois de várias perícias e uma enorme divulgação na mídia local, ninguém reconheceu a vítima de esquartejamento. O delegado Bareta, da Delegacia de Homicídios, afirma que novos resultados de perícias que estão sendo feitas no estado de Goiás estão sendo esperados para a elucidação do caso.

O delegado Francisco Costa, o Bareta, assegura que o caso será solucionado brevemente. ?Dependemos de um parecer técnico de outro estado da federação. Este caso(mulher esquartejada) será solucionado. Com certeza, a sociedade pode esperar que este será um caso que a população vai ver mais uma ação da Polícia Civil. Esta situação está clara. Nós da Delegacia de Homicídios temos a melhor equipe de investigadores?

Fonte: Denison Duarte