Aluna assassinada em escola procurou polícia há 1 semana

Aluna assassinada em escola procurou polícia há 1 semana

Andressa Fontes e sua mãe prestaram queixa contra suspeito do crime.

Morta a tiros em uma escola na cidade de José da Penha, na região Oeste do Rio Grande do Norte, a adolescente Andressa Caroline Fontes, de 16 anos, e sua mãe procuraram a Polícia Civil na semana passada para prestar queixa contra José Marcos Alves, de 33 anos, suspeito de ter atirado na vítima. Ele cometeu suicídio em seguida. O crime aconteceu nesta segunda-feira (7) na Escola Municipal 4 de Outubro. A informação é do delegado Donny Êxodo Cavalcante, titular da Delegacia de Luís Gomes, que atende a cidade de José da Penha.

Foi o segundo boletim de ocorrência aberto contra José Marcos Alves em relação aos assédios à adolescente. Já havia um inquérito contra ele na delegacia pelo mesmo motivo, além de um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) tramitando na Justiça desde setembro do ano passado. O delegado explica que a morte da menina se configura como crime passional. A Polícia Civil confirma também que a mãe de Andressa teve um relacionamento amoroso com o suspeito. Após o término da relação com a mulher, José Marcos passou a assediar a filha.

De acordo com o sargento Lima, da PM no município, o crime aconteceu por volta das 10h. O policial revelou que o suspeito entrou na escola e levou a adolescente até o banheiro. "Ele tinha acesso à escola porque prestava serviços à prefeitura e entregava materiais lá. O homem foi até a sala e chamou a menina. Ele matou ela a tiros com um revólver calibre 38 e se matou em seguida", disse o sargento. O PM acrescenta que o homem já teria namorado a mãe da adolescente, mas o relacionamento chegou ao fim. "Ela não queria ele. A família também não", explicou.

Luto oficial

A Prefeitura de José da Penha decretou luto oficial de três dias pela morte da adolescente. As aulas só serão retomadas na próxima semana na escola, segundo a Secretaria de Educação do município.

A secretária de Educação, Maria do Socorro Rocha, explica que após o luto professores serão atendidos por assistentes sociais e psicólogos nesta quinta-feira (10) na Escola 4 de Outubro. Na sexta-feira (11), será a vez de alunos e pais receberem o atendimento. "Nunca esperava que isso fosse acontecer. Era uma pessoa da nossa convivência, calma e tranquila. A atitude dele nos surpreendeu", afirma a secretária de Educação sobre José Marcos Alves, que prestava serviços para a prefeitura.

"Quando cheguei já estavam mortos"

"Uma pessoa falou que tinha um cara dentro do banheiro. Quando cheguei, os dois já estavam mortos". As palavras são de Francimário Costa, diretor da Escola Municipal 4 de Outubro. O diretor passou mal e precisou de atendimento médico. Francimário conversou logo após prestar depoimento à polícia e disse desconhecer a suspeita de que o crime tenha motivação passional.

Segundo a polícia, o homem tentava namorar a adolescente há algum tempo. "Soube disso depois. Mas até acontecer a tragédia, a escola não estava sabendo desta situação", afirmou o diretor. Depois de entrar no banheiro e se deparar com os dois corpos, o diretor fechou a porta e mandou evacuar o colégio. A Escola Municipal 4 de Outubro tem pouco mais de 500 alunos matriculados no ensino fundamental. "Andressa era boa aluna, excelente na escola", acrescentou o diretor. A adolescente era aluna do 9º ano do ensino fundamental.

Fonte: G1