Aluna de Psicologia é acusada de matar bebê a facadas

O nome da acusada não foi revelado pela Polícia Civil da Bahia

Uma estudante universitária do curso de Psicologia é suspeita de matar a filha recém-nascida e esconder o corpo em um canil nos fundos da casa de seus tios, no bairro de Itapuã, em Salvador, onde a jovem de 19 anos, natural do município baiano de Terra Nova, se hospeda para frequentar a faculdade. Ela teria asfixiado o filho com papel higiênico e desferido pelo menos 10 facadas no corpo da criança na quinta-feira passada, mas o caso veio a público somente nesta terça-feira.

O nome da acusada não foi revelado pela Polícia Civil da Bahia, que trata o caso como passível de correr em segredo de Justiça. A estudante teria escondido a gravidez dos tios e dado à luz em seu quarto, sozinha. Com dores, ela teve de ser socorrida no Hospital da Sagrada Família (HSF), onde passou por curetagem. Os médicos que participaram do procedimento de retirada da placenta estranharam a ausência do bebê e a relutância da jovem em responder sobre o paradeiro da criança, o que motivou os funcionários do hospital a procurar a polícia.

Após cinco dias internada, a suspeita, que já tem um filho de 3 anos cuidado pelos avós em Terra Nova, foi ouvida na 12ª DP de Salvador, onde disse não lembrar de ter estado grávida nem de nada relacionado ao parto. Um inquérito de 30 dias foi aberto na delegacia, mas o período é prorrogável, já que o exame de DNA solicitado pela polícia deve levar no mínimo 60 dias para ficar pronto. A acusada responde pelo crime em liberdade, já que não houve flagrante.

Fonte: Terra, www.terra.com.br