Amante loira esteve com Bruno nos dias do sequestro

Amante loira esteve com Bruno nos dias do sequestro

Identificada como Fernanda, jovem teria ajudado o goleiro a deixar a mansão no Recreio

A Polícia Civil de Minas Gerais já sabe que a amante do goleiro Bruno Souza, do Flamengo, uma loura identificada como Fernanda Gomes de Castro, 32 anos, esteve na mansão do jogador, no Recreio dos Bandeirantes, exatamente nos primeiros dias do sequestro da estudante Eliza Samudio e de seu filho, Bruninho, de 5 meses. Os registros de visita do condomínio revelam que a moça entrou com seu Gol vermelho duas vezes, nos dias 4 e 5 de junho, mas não há dados das saídas do carro. O documento corrobora o último depoimento do menor J., 17 anos, prestado à DH mineira no prédio da 2ª Vara da Infância e da Juventude do Rio. O primo de Bruno afirmou que buscou Eliza na porta do Hotel Transamérica, na Barra da Tijuca, e a levou ao encontro de Fernanda, numa casa no Recreio, ao lado de Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão.

Na noite do dia 4, Bruno se concentrava para o jogo Flamengo x Goiás, que aconteceu no dia seguinte. As investigações indicam que, depois da partida no Maracanã, Fernanda seguiu para Minas com o goleiro no BMW X5 preto, que ele pegou emprestado numa concessionária da Barra. O dono da agência prestou depoimento em Belo Horizonte, sexta-feira, e apresentou o carro. Ele contou que cedeu o veículo a Bruno, cliente antigo da loja, sob a alegação de que faria um test-drive no fim de semana. De fato, o carro foi devolvido no dia 7, só que por Macarrão. O BMW foi periciado, mas nada foi encontrado.

Ajuda para deixar casa no Recreio

Outros depoimentos prestados indicam que Fernanda foi para Minas. Segundo disse ontem Wemerson Marques de Souza, o Coxinha, a loura acompanhou o goleiro em um jogo do 100% Futebol Clube, time amador patrocinado por Bruno, no dia 6, em Ribeirão das Neves. Na noite do mesmo dia e no dia 7, eles teriam sido vistos no sítio. A polícia tenta entender como Fernanda estava lá ao mesmo tempo que Dayanne Souza, esposa de Bruno, como o menor J. relatou.

Também foi no carro de Fernanda que o jogador deixou a mansão onde mora no Recreio, logo após J. ser apreendido por agentes da DH do Rio, no dia 6. Ao tentar cumprir o mandado de prisão contra Bruno, os policiais estiveram na casa dela, em Santa Cruz, porque sabiam que os dois estavam juntos. Fernanda só se separou do goleiro pouco antes de ele se apresentar no fim daquela tarde.

Namorados há cerca de quatro meses, a loura e o ex-capitão rubro negro estavam cada vez mais próximos. A jovem passava mais tempo na casa dele do que em seu apartamento. Desempregada, vivendo da pensão do ex-marido, Fernanda muitas vezes também levava o filho de 13 anos para passar os fins de semana na casa do goleiro.

?Eles não precisavam assumir o namoro porque quem via sabia que era uma relação de namorados. Fernanda estava sempre na casa dele e passou a emprestar o carro para ele fugir do foco e conseguir sair para treinar tranquilo. Fernanda já foi para Minas conhecer a família dele e ficou com Bruno até ele se apresentar. O advogado, doutor (Ércio) Quaresma, já orientou a Fernanda e disse para ela ficar tranquila porque não tem nenhum mandado de prisão?, contou o amigo Fábio Lima, que apresentou o casal.

Fernanda e Bruno se conheceram no bar Rock Bola, em Santa Cruz. De início, trocaram telefones, mas logo passaram a sair. Dono da casa, o empresário Luiz Azambuja disse que o jogador frequentava a boate com amigos e Fernanda. ?Ele esteve na casa umas três vezes. A última faz uns 40 dias. A sua presença era boa para o estabelecimento, mas agora não é mais porque ele não tem mais uma boa imagem?, afirmou Azambuja.

Eliza está desaparecida desde o dia 4 de junho, quando teria saído do Rio de Janeiro para Minas Gerais a convite de Bruno. No ano passado, a estudante paranaense já havia procurado a polícia para dizer que estava grávida do goleiro e que ele a teria agredido para que ela tomasse remédios abortivos para interromper a gravidez. Após o nascimento da criança, Eliza acionou a Justiça para provar a suposta paternidade de Bruno.

No dia 24 de junho, a polícia recebeu denúncias anônimas dizendo que Eliza teria sido espancada por Bruno e dois amigos dele até a morte no sítio de propriedade do jogador, localizado em Esmeraldas, na Grande Belo Horizonte. Durante a investigação, testemunhas confirmaram à polícia que viram Eliza, o filho e Bruno na propriedade. Na noite do dia 25 de junho, a polícia foi ao local e recebeu a informação de que o bebê apontado como filho do atleta, de 4 meses, estaria lá. No dia seguinte, O DIA noticiou, com exclusividade, o caso. Com equipes de reportagem no local, O DIA ONLINE acompanhou a investigação da história, minuto a minuto, a partir do dia 26 de junho.

A atual mulher do goleiro, Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, negou a presença da criança na propriedade. No entanto, durante o depoimento dos funcionários do sítio, um dos amigos de Bruno afirmou que ela havia entregado o menino na casa de uma adolescente no bairro Liberdade, em Ribeirão das Neves, onde foi encontrado. Por ter mentido à polícia, Dayanne Souza foi presa, mas logo conseguiu a liberdade. O goleiro e a mulher negam as acusações de que estariam envolvidos no desaparecimento de Eliza e alegam que ela abandonou a criança.

Na quarta-feira 7 de julho, a Justiça decretou prisão preventiva do goleiro Bruno, o amigo Macarrão, o ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos - conhecido como "Neném", "Bola" ou "Paulista", sua mulher Dayanne e mais quatro envolvidos no crime. A polícia apreendeu ainda um menor, de 17 anos, primo de Bruno, que teria participado da trama. No dia seguinte, 8 de junho, a mãe de Eliza Samudio ganhou a guarda provisório do bebê, agora com 5 meses. No dia seguinte, Bruno, Macarrão e Neném foram convocados a prestar depoimento mas se negaram. Segundo seus advogados, os acusados só falarão em juízo.

Fonte: ODIAONLINE