Garota de Programa decapitada recebia ameaça do namorado

Garota de Programa decapitada recebia ameaça do namorado

Altmann teria matado Andressa e em seguida ligado para sua família.

Amigos de Andressa Hann, 22 anos, a garota de programa que teria sido morta e decapitada pelo ex-namorado, na cidade de Imigrante, a 140 km de Porto Alegre, disseram nesta quarta-feira que o suspeito Gilson Alan Altmann, 26 anos, já tinha ameaçado matá-la caso ela ficasse grávida. Para eles, esta é uma opção possível.

"Ele sempre falou que se ela aparecesse grávida, iria matá-la", disse um amigo de Andressa, que preferiu não se identificar. Na opinião dele, a motivação do crime não seria a profissão de Andressa. "Todo mundo sabia que ela era garota de programa, principalmente ele", afirmou.

O crime aconteceu na noite de domingo. Altmann teria matado Andressa e em seguida ligado para sua família. A irmã do suspeito foi ao local e encontrou o corpo da vítima. Ela saiu em busca do pai e, quando os familiares voltaram, Altmann tinha decapitado a ex e fugido com a cabeça, que foi encontrada a cerca de 6 km do local.

Na casa onde ocorreu o crime, Altmann teria escrito na parede um pedido de desculpas com um líquido vermelho, que se cogita ser sangue. Ele teve a prisão preventiva decretada e está sendo procurado pela polícia de toda a região.

Segundo o amigo de Andressa, o casal tinha um relacionamento há mais de dois anos e, diferentemente do que tem sido divulgado pela polícia, não estaria separado. "É mentira essa história de que eles estavam separados há alguns meses, porque na semana passada mesmo eu vi os dois juntos", afirmou.

O amigo disse ainda que Andressa sofria muito preconceito na cidade de origem alemã por trabalhar como garota de programa. "Sempre que ela ou as outras meninas (garotas de programa) iam aos lugares, as pessoas ficavam cochichando, mas falavam em alemão para que não entendessem", disse.

Andressa era natural da cidade de Estância Velha, na região metropolitana de Porto Alegre, e há dois anos se mudou para Imigrante. Ela trabalhava em diversas boates localizadas em cidades da região, como as da localidade de São Sebastião do Caí, e foi em uma delas que conheceu Altmann.

A população da cidade, que não registrava homicídios há vários anos, está chocada com a violência do crime. Segundo o amigo de Andressa, Altmann está escondido na casa de amigos e corre risco até de ser morto pela população caso apareça na cidade. "Se ele botar a cara dele na rua, é capaz do pessoal linchá-lo", afirmou.

O resultado da autópsia só deve sair na semana que vem, quando será possível constatar também se Andressa estava grávida ou não.

Fonte: Terra