Antes de marido atacar mulher com faca, casal havia ido a motel

Antes de marido atacar mulher com faca, casal havia ido a motel

taque ocorreu depois de carro bater em lixeira de concreto na BR-290.

O homem que foi preso após ferir a mulher com uma faca na manhã de sábado (25) na BR-290, em Porto Alegre , havia passado a noite em um motel com ela antes do ataque. De acordo com o delegado Cristiano Reschke, da Delegacia de Trânsito, os dois consumiram álcool e cocaína.

O ataque na freeway ocorreu após um acidente, em que os dois estavam dentro do veículo. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o carro bateu em uma lixeira de concreto às margens da rodovia. Após o choque, o marido de 49 anos perseguiu a mulher de 31 em meio à vegetação, com uma faca.

Segundo a Polícia Civil, a vítima disse que o acidente foi provocado com a intenção de que os dois perdessem a vida e que ele já havia tentado capotar o carro anteriormente. O homem estava com a CNH suspensa e havia sido indiciado por embriaguez ao volante e lesão corporal.

"Ele foi autuado em flagrante por tentativa de homicídio, embriaguez ao volante e violação da suspensão da CNH. Foi lavrado o auto de prisão em flagrante e prisão preventiva em razão desses crimes?, contou Reschke.

A companheira já havia registrado duas ocorrências formais por agressão, em 2007 e 2012. Em depoimento, ela contou à polícia que é casada há 12 anos, com histórico de violência familiar. Eles têm uma filha de 9 anos.

Imagens cedidas pela PRF mostram o momento em que o homem sai do veículo com a faca atrás da companheira (veja o vídeo ao lado). Ele consegue derrubar a mulher. Depois de tentar asfixiá-la, ele a fere no pescoço. Pessoas que pararam para ver o que estava ocorrendo tentaram empurrar o homem. No entanto, ele ainda tentou fincar a faca em seu próprio corpo.

A mulher conseguiu fugir, e o homem foi preso em seguida pelos policiais rodoviários. Com um corte no pescoço, ela foi levada ao Hospital de Pronto Socorro, em Porto Alegre, onde segue em estado regular e não corre risco de morrer.

Fonte: G1