Após advogado denunciar agressão, Macarrão passa por exame de corpo de delito

Após advogado denunciar agressão, Macarrão passa por exame de corpo de delito

Advogado afirmou que levará caso ao MP e à Corregedoria da Polícia Civil.

Luiz Henrique Ferreira Romão, amigo do goleiro Bruno conhecido como Macarrão, deixou o prédio do Departamento de Investigações (DI) da Polícia Civil de Minas Gerais, em Belo Horizonte, por volta de 23h40 desta segunda-feira (19), e foi levado ao Instituto Médico Legal (IML), para passar por exame de corpo de delito. A medida foi tomada após o advogado Ércio Quaresma, que defende o rapaz, afirmar que seu cliente foi agredido durante depoimento.

Segundo Quaresma, um delegado deu um tapa no peito de Macarrão, que acabou caindo no chão.

Até sete agentes da Polícia Civil acompanharam Macarrão ao IML. O exame começou por volta 23h55 e terminou no início da madrugada desta terça-feira (20), por volta de 0h20.

Macarrão está preso no Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem (MG), por suspeita de envolvimento no desaparecimento de Eliza Samudio. Ele nega. A jovem teve um relacionamento com o goleiro Bruno e sumiu no início de junho. Para a polícia, ela está morta.

Macarrão foi encaminhado ao DI no fim da manhã desta segunda. Quaresma afirmou ainda que irá fazer denúncias junto ao Ministério Público (MP) e à Corregedoria da Polícia Civil de Minas Gerais.

Bruno também foi encaminhado à delegacia. Ainda de acordo com Quaresma, eles prestam depoimento separadamente.

O advogado já havia informado que orientou seus clientes a não responderem as perguntas feitas pela polícia. E foi o que ocorreu.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil diz que não vai se manifestar sobre a suposta agressão, ao menos por enquanto.

Entenda o caso

Nascida em Foz do Iguaçu (PR), Eliza Samudio se mudou para São Paulo e posteriormente para o Rio. Em 2009, teve um relacionamento com Bruno, engravidou e afirmou que o pai de seu filho é o atleta. O bebê nasceu no início de 2010, e, agora, está com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul.

A polícia mineira começou a investigar o sumiço de Eliza em 24 de junho, depois de receber denúncias de que uma mulher foi agredida e morta perto do sítio do jogador, em Esmeraldas (MG). Os delegados já consideram Eliza morta.

Em 6 de julho, um menor foi detido na casa do jogador, no Rio, e afirmou à polícia que Eliza está morta. Ele disse que viajou do Rio para Minas Gerais com Eliza e Macarrão. De acordo com o adolescente, os três foram para o sítio do goleiro. Depois, seguiram até outro local, onde um homem identificado como Neném estrangulou a jovem.

Oito pessoas estão presas na Região Metropolitana de Belo Horizonte, por suspeita de envolvimento no desaparecimento da jovem, incluindo Bruno e Macarrão. Todos negam o crime.

No Rio, os dois são investigados por suspeita de participação no sequestro da jovem. Os dois também negam.

Fonte: g1, www.g1.com.br