Após roubar mais de R$ 1 milhão de 15 bancos, homem é preso

Após roubar mais de R$ 1 milhão de 15 bancos, homem é preso

Líder do grupo já conseguiu fugir de três presídios de segurança máxima. Roubos foram em Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Mato Grosso.

Silvano Alves dos Santos, 27, líder de uma quadrilha que praticou pelo menos 15 assaltos a bancos de vários estados do país foi preso na quinta-feira (20) na Zona Norte de Aracaju, em Sergipe. Ele é considerado foragido da Justiça do Mato Grosso, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Paraíba e confessa já ter roubado mais de R$ 1 milhão.

?Foi muito mais que isso. Gastei tudo com mulheres de drogas. Agora que a casa caiu eu vou pagar minha dívida com a Justiça e não quero mais roubar?, declara Silvano. Segundo o delegado, Everton Santos, do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), o dinheiro do criminoso está distribuído em vários bens.

A operação conjunta entre as Polícias Militar e Civil resultou ainda na prisão de Cláudio Pereira da Silva, 30. Ele é acusado de resgatar Silvano que se feriu na fuga após um assalto em Pernambuco no sábado (15). ?Ele me pediu uma ajuda e como somos amigos de infância eu não tinha como negar. Não vou mentir, eu sabia que dar fuga é crime?, conta Cláudio.

O líder do grupo se mudou para a capital sergipana há três meses para se esconder da polícia. No último assalto, Silvano e seu grupo agiram em um banco em Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco. Os comparsas dele foram presos e ele conseguiu fugir, mas acabou fraturando uma perna.

?Eu já tinha planejado outro assalto para segunda-feira (17), mas infelizmente não deu certo. Tive que voltar e onde eu moro, eu não mexo?, afirma Silvano, que diz não ter planos para roubar agências bancárias de Sergipe.

Silvano é temido por agir com violência nas abordagens às vítimas e também por já ter conseguido fugir de três penitenciárias de segurança máxima. Com ele, foi encontrado um revólver calibre 38 com munições. A dupla vai ser transferida para Pernambuco ainda nesta sexta-feira (21).

?Montamos campana e utilizamos o elemento surpresa para dificultarmos a resistência da dupla. Graças ao trabalho das divisões de inteligência das Polícias Militar e Civil conseguimos chegar às prisões sem problemas?, finaliza o coronel Jackson Nascimento, do Comando de Policiamento da Capital.

Fonte: G1