Armas de PMs são recolhidas após morte de jovem na Zona Norte do Rio

Arma que estaria com adolescente também será periciada

As armas dos policiais envolvidos no tiroteio que matou o jovem de 17 anos no Morro do Chapadão, em Costa Barros, Zona Norte do Rio, na noite desta segunda-feira (29), foram recolhidas para que sejam investigadas as circunstâncias da morte do adolescente. A polícia diz também ter apreendido uma arma que estava com o rapaz. A morte dele foi seguida de um protesto com cinco ônibus queimados e dois presos.

A PM divulgou diferentes versões sobre a morte. Primeiro, foi divulgado que o rapaz estava num carro roubado e junto com ele foram encontrados uma pistola e um radiotransmissor. Posteriormente, foi divulgada a informação que o adolescente morreu num tiroteio. Por último, em nota, a corporação informou que a perícia vai definir as circunstâncias do episódio. Policiais militares estavam na região Chapadão numa operação para coibir o tráfico de drogas e roubo de veículos.

Presos com combustível

Em protesto contra a morte do menor, cerca de 20 pessoas desceram a comunidade do Job e atearam foto em pelo menos cinco ônibus, no início da noite desta segunda-feira. A Avenida Chrisóstomo Pimentel de Oliveira, na altura da Rua Coronel Moreira César, na Pavuna, estava interditada às 19h.

De acordo com o 41º BPM (Colégio), durante o protesto, dois homens foram presos ao tentarem atear fogo em um ônibus na entrada do Morro do Chapadão. Com eles foram apreendidos dois litros de combustível, uma pistola calibre 40 e uma submetralhadora 9mm. A dupla foi encaminhada para a 39ª DP (Pavuna).

Fonte: G1