Artista plástico é baleado e morre quando pintava casa abandonada

A família acusa morador da casa vizinha ao imóvel abandonado.

O artista plástico Yury Alves Neves, de 22 anos, foi morto com um tiro nas costas quando pintava uma casa abandonada na Rua Nossa Senhora da Glória, bairro Cavaleiros, em Macaé, na madrugada de quarta-feira.

Yury era integrante do grupo CultuRap, que promove dança de rua, competições de skate, grafite e outras atividades culturais em escolas, praças e comunidades carentes no município. Também tatuador, Yury, que era noivo da maquiadora Adriana Rechdan, 22, foi enterrado na quinta-feira.

?Um homem em uma casa vizinha à que estávamos pintando nos ameaçou e saímos, mas ele atirou seis vezes contra a gente e atingiu o Yury nas costas. Tentamos socorrê-lo, mas ele não resistiu?, detalhou José Julio Barcelos, 24 anos, que estava com Yury e outros dois amigos grafiteiros no local.

De acordo com a Polícia Civil, agentes da 123ª DP (Macaé) realizaram perícia no local do crime, onde foram recolhidos projéteis de bala. Os três colegas de Yury foram ouvidos, além de um dos vizinhos da casa abandonada.

Policiais da distrital ainda realizam outras diligências, com o propósito de identificar outras testemunhas que possam auxiliar nas investigações.

?Não conseguimos compreender tanta violência. Se a pessoa estava com medo de assalto, ou algo assim, poderia ter atirado para o alto. Já estávamos saindo dali e nem falamos que estávamos pintando a casa, pois logo confundem com pichação?, lamentou José Júlio.

A família acusa morador da casa vizinha ao imóvel abandonado ? que seria dono de uma empresa da área off-shore que atua na cidade ? de ter feito os disparos. Em depoimento, ele diz que um funcionário atirou nos rapazes.

?Estamos fazendo manifestações na cidade e em frente ao local onde o Yury morreu. Ninguém compreende como isso pôde acontecer com ele, um menino muito bom e querido por todos?, disse o irmão da noiva da vítima, o designer Antônio Kvalo, 30 anos.

Fonte: O Dia Online