Às vésperas da Copa, número de roubos aumenta perto do Maracanã

Roubos de automóveis, de celular e a estabelecimentos comerciais também apresentaram aumento.

A gestora de RH Patricia Mussi, de 35 anos, costumava levar sua filha de 5 anos para brincar todas as tardes no entorno do Maracanã. Em dezembro do ano passado, a brincadeira ao ar livre foi substituída pelo playground do prédio em que a família mora, na Rua Conselheiro Olegário, a 50 metros do palco da final da Copa do Mundo. A decisão foi tomada por Patricia quando ela se tornou vítima da violência da região: numa segunda-feira, por volta das 7h, ela teve um cordão arrancado de seu pescoço, na calçada do estádio, quando se dirigia ao metrô para ir ao trabalho.


Às vésperas da Copa do Mundo, roubos duplicaram no entorno do Maracanã; em março, foram 15 assaltos por dia

A 38 dias do início da Copa, a situação vivenciada por Patricia tornou-se mais comum ao redor do Maracanã. Segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), o número de roubos na região do 4º BPM, que engloba os bairros de São Cristóvão e Praça da Bandeira, além do Maracanã, dobrou, se comparados os registros de março deste ano com o mesmo mês do ano passado. No período, foram assaltadas 238 pessoas em 2013, e 481 este ano ? 15 por dia.

? Só este ano, testemunhei três assaltos. Todos foram cometidos por meninos em bicicletas, que passam e arrancam bolsas e cordões ? afirma Patricia.

De acordo com os dados do ISP, o tipo de roubo mais comum na área é o assalto a pedestres: no mês de março inteiro, foram registradas 280 ocorrências do tipo ? nove por dia ?, 135% a mais do que em março de 2013. Roubos de automóveis, de celular e a estabelecimentos comerciais também apresentaram aumento, respectivamente, de 166%, 111% e 166%. Para moradores e atletas que frequentam a pista de atletismo do Maracanã, esses crimes são fruto da falta de policiamento, principalmente à noite e em fins de semana sem jogo no estádio.

Fonte: Extra