Idosa de 83 anos que matou a vizinha é procurada pela polícia

Idosa de 83 anos que matou a vizinha é procurada pela polícia

A mulher, condenada por matar uma vizinha, disse que iria visitar o papa.

A assassina mais velha da história da Áustria, uma mulher de 83 anos, condenada por matar a golpes de faca uma vizinha, foi dada como desaparecida depois de dizer que iria ao Vaticano fazer uma visita ao papa. Até agora, Bronislawa Jarosz, de origem polonesa, não regressou à Áustria.

As autoridades austríacas lançaram uma ordem europeia de busca e apreensão contra Bronislawa, que se declarou culpada do assassinato de sua vizinha em 2007 e foi condenada a 18 anos de prisão. O crime ocorreu na cidade de Korneuburg, e a vítima tinha 80 anos.

De acordo com informações do site espanhol El País, Bronislawa conseguiu liberdade provisória após sua defesa apresentar razões como problemas de saúde em outubro de 2008, dez meses depois de ser presa.

De acordo com o site, após ser condenada e iniciar sua pena, em janeiro de 2008, Bronislawa começou a apresentar piora de seu estado de demência e foram detectados problemas cardíacos. Também pesou para sua liberdade provisória o fato de ela ter de estar sempre amarrada a uma cama devido a seus surtos de ?loucura?. Assim, a condição para sua liberdade provisória era a de ela poder se submeter a tratamentos de saúde mais adequados do que os oferecidos dentro da prisão.

Só que um exame médico feito posteriormente mostrou que a idosa não tinha motivos para continuar em liberdade. Baseados em opiniões de especialistas e no fato de Bronislawa só ter comparecido uma única vez às sessões de terapia obrigatórias desde que havia colocado os ?pés na rua?, um juiz do tribunal regional de Wiener Neustadt revogou a permissão de liberdade provisória.

Desde então, a polícia esteve três vezes na casa da idosa assassina para tentar prendê-la, mas ela nunca foi encontrada.

A filha de Bronislawa insiste em dizer que sua mãe está fazendo um tipo de peregrinação até o Vaticano para ver o papa Bento 16, mas a polícia suspeita que ela tenha se escondido na Polônia, seu país natal.

Bronislawa continua foragida, e a polícia não tem sinais de seu paradeiro.

Fonte: R7, www.r7.com