Assassino do cartunista Glauco é morto durante briga em presídio

Cadu foi assassinado com uma arma artesanal

Carlos Eduardo Sundfeld Nunes foi morto na manhã desta segunda-feira (4) dentro do Núcleo de Custódia, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital.

Assassino confesso do cartunista Glauco e seu filho, Cadu foi morto com uma arma artesanal durante briga com outro detento no banho de sol. As informações são da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária de Goiás (SSAP-GO).

O órgão disse que agentes penitenciários perceberam a movimentação e intervieram, mas não conseguiram evitar o homicídio.

De acordo com a SSAP-GO, o acusado de matar Cadu se apresentou à direção do Núcleo de Custódia. "Disse ter usado uma arma artesanal para se defender durante uma briga que, segundo o suposto autor, teria sido iniciada pela vítima", informa a nota.

O caso será investigado pelo Grupo de Investigação de Homicídios de Aparecida de Goiânia (GIH).

Cadu estava detido no Núcleo de Custódia desde setembro de 2014, um ano depois de ter deixado uma clínica psiquiátrica da capital. Ele havia sido submetido à internação após a morte de Glauco Vilas Boas e do filho dele, Raoni Vilas Boas, em Osasco, em 2010.

A prisão em Goiás ocorreu após ele matar duas pessoas em Goiânia, em agosto de 2014, crimes pelos quais foi condenado a 61 anos de prisão. As vítimas são o agente prisional Marcos Vinícius Lemes da Abadia, 45 anos, e o estudante de direito Mateus Pinheiro de Morais, 21 anos. Eles morreram durante assaltos.

Cadu morre dentro de presídio  (Crédito: Divulgação)
Cadu morre dentro de presídio (Crédito: Divulgação)


Fonte: G1