Assassinos de coitados não são achados, diz avó de garoto morto

Assassinos de coitados não são achados, diz avó de garoto morto

Menino morreu quando passava em fogo cruzado.

Corintiano, Willian de Souza, 13, tinha o perfil dos meninos da sua idade: gostava de usar o computador na lan house, de ir à casa do primo jogar videogame e de ficar conversando com os amigos na rua.

Estava na quinta série de um colégio na Brasilândia (zona norte de São Paulo), mas já tinha planos para o futuro: assim como o padrasto, funileiro, queria abrir uma oficina e lidar com carros.

Mas, na última semana, foi pego no fogo cruzado do que seria mais uma chacina na cidade: dois homens armados, de moto, passaram atirando em direção a um bar. Willian, que voltava para casa naquela hora, estava na frente do local.

Fonte: UOL