Atirador mata ladrão que fez refém com granada

Ele chegou a tirar o pino para detonar a granada com que ameaçava vítima.

O assaltante que fez uma mulher refém numa farmácia na Tijuca, na Zona Norte do Rio, chegou a tirar o pino para detonar a granada com que ameaçava vítima.

Segundo a polícia, o homem pôs o pino de volta e, ao tentar retirá-lo pela segunda vez, foi alvejado.

Ainda de acordo com a versão policial, ele só foi alvejado ao fazer a segunda ameaça na farmácia. No entanto, o criminoso já tinha sido baleado no abdômen, antes de pegar a refém, quando ele ameaçou atirar a granada contra os policiais.

?A vítima estava fraca fisica e emocionalmente e ameaçava desfalecer. Ele já estava reclamando do ferimento no abdômen. Quando ele puxou novamente o pino, autorizamos o disparo?, disse o comandante do 6º BPM (Tijuca), tenente-coronel Fernando Príncipe.

Assaltante já havia sido preso 2 vezes

Segundo o coronel Princípe, o assaltante, que ainda não foi identificado, repetia que não seria ser preso de novo porque tinha 25 anos e já havia estado na cadeia duas vezes.

?Com as duas mãos, ele segurava a vítima, a granada e falava no celular. A qualquer momento a granada poderia ser detonada, mesmo que ele não quisesse. Era só ele se atrapalhar?, explicou o comandante.

"Saí correndo", diz funcionária

Uma funcionária da farmácia, que não quis se identificar, contou que a refém era a dona da farmácia, identificada como Ana Cristina Garrido. "Quando ele entrou, saímos todos correndo, mas ela estava no escritório, no fundos. Quando ela tentou sair, ele a pegou", lembrava.

"Percebi quando a polícia começou a gritar com ele e houve correria. Me afastei e entrei numa loja", contou um publicitário, de 22 anos, que passava na hora pelo local e fotografou a ação.

Como tudo começou

Segundo a polícia, um carro que patrulhava a área percebeu a atuação do criminoso ao saltar de um carro para tentar assaltar uma Kombi dos Correios. Com a chegada da polícia, ele tentou se infiltrar entre os pedestres, e ficou parado num orelhão.

A confusão começou quando ele foi abordado pela polícia e retirou a granada debaixo da camisa. Os três comparsas fugiram e a Kombi dos Correios seguiu viagem. No final da ação, policiais comemoraram e a população que estava próxima ao cordão de isolamento aplaudiu os agentes.

Violência na Tijuca

Na manhã de quinta-feira, uma mulher de 28 anos foi vítima de bala perdida durante uma tentiva de assalto no Largo da Segunda-Feira, também na Tijuca.

Ladrões que estavam em duas motos dispararam contra o carro de uma outra mulher que eles tentaram roubar. A manicure Vanessa Ramos está internada no Hospital Souza Aguiar, no Centro do Rio, em estado grave.

Fonte: g1, www.g1.com.br