Audiência é suspensa após Bruno passar mal

Os advogados de defesa pediram que a sessão fosse interrompida

A juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, suspendeu a audiência de testemunhas de acusação do desaparecimento e morte de Eliza Samudio, na tarde desta quarta-feira (13). A suspensão partiu de um pedido dos advogados de defesa dos réus, depois que Bruno, Fernanda Gomes de Castro e Sérgio Rosa Sales, primo do goleiro, foram levados para o Hospital Referência Municipal de Contagem. Os advogados alegam que a ausência dos réus no fórum, mesmo que em sala separada da audiência, prejudica a arguição da defesa.

Durante o depoimento da segunda testemunha desta quarta-feira (13), os advogados de defesa pediram que a sessão fosse interrompida. A juíza concordou com o pedido dos defensores e marcou para esta quinta-feira (14) a retomada da audiência.



O advogado do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, Zanone de Oliveira Júnior, disse à imprensa que ia pedir que seja investigada a situação dos réus que passaram mal. Segundo o defensor, Bruno e Sérgio estariam dopados.

O advogado de Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, Maurício Souza Pereira, disse que seu cliente contou a ele que Bruno toma uma medicação toda noite. Nesta manhã, um agente penitenciário teria dado o remédio para Bruno levar para a audiência, caso a sessão se estendesse durante a noite desta quarta-feira (14). Ainda de acordo com Macarrão, Bruno teria tomado o remédio por uma confusão. A Secretaria de Defesa Social de Minas Gerais vai apurar se a informação procede.

O promotor de Justiça Gustavo Fantini afirmou que vai solicitar uma investigação sobre a denúncia de que os réus estariam dopados.

O advogado Marco Antônio Siqueira, que defende Sérgio, pediu, durante a audiência, à juíza que deixe seu cliente isolado em uma cela no Centro de Remanejamento de Presos São Cristóvão, em Belo Horizonte. A magistrada ouviu o pedido, mas não falou a respeito.

Fernanda Gomes de Castro, ex-noiva do goleiro, também passou mal no fim da audiência. Ela teria se exaltado, segundo um oficial de Justiça, ao saber que um pedido de soltura registrado pela sua defesa foi negado. Fernanda foi levada para o Hospital Referência Municipal de Contagem.

Hospital

Em nota, o Secretaria de Saúde de Contagem informou que Bruno apresenta tontura, mal-estar e desidratação leve. Ele está em observação, tomando soro, e está esperando o resultado de exames laboratoriais de rotina. Segundo a secretaria, os exames de eletrocardiograma e raios-X estão normais.

Sobre o estado de saúde de Sérgio Rosa Sales, a secretaria informou que ele está com tontura, dor no peito, mal-estar e desidratação leve. Assim como Bruno, os exames eletrocardiograma e raios-X estão normais e Sérgio recebe soro. O primo de Bruno ainda espera o resultado de exames laboratoriais de rotina. Para nenhum dos dois há previsão de alta.

A secretaria disse que Fernanda apresenta um quadro de estresse. Ela também está com tontura, mal-estar e desidratação leve, e espera o resultado de exames laboratoriais de rotina. Os exames eletrocardiograma e raios-X estão normais. Para ela também não há previsão de alta.

Isolamento

O testemunho da mulher do caseiro do sítio de Bruno, em Esmeraldas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, será retomado nesta quinta-feira (14). Ela ficará isolada, em um hotel custeado pelo estado, para evitar que tenha contato com pessoas envolvidas no processo até a retomada da audiência.

Audiência

Funcionários do fórum de Contagem disseram que 14 testemunhas seriam ouvidas nesta quarta-feira (13), a respeito do desaparecimento e morte de Eliza Samudio. Um caseiro do sítio do goleiro, em Esmeraldas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi o primeiro a responder às questões da juíza. Na sequência, a mulher dele começou a prestar depoimento. Com a suspensão, ele será retomado nesta quinta-feira e o policial, que estava previsto para hoje, também deve ser ouvido na quinta (14).

O Tribunal de Justiça disse, anteriormente, que a juíza iria ouvir quatro delegados da investigação sobre o desaparecimento e morte de Eliza Samudio, mas, no início da tarde, Marixa informou que os quatro delegados devem ser ouvidos nesta quinta (14), também no Fórum de Contagem. A audiência dos réus, que seriam na quinta (14), foi adiada e não tem data marcada ainda.

Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, essas audiências estão sendo realizadas para que a juíza Marixa, de Contagem, tome conhecimento de todos os fatos do processo apresentado pelo Ministério Público e decida se os réus serão pronunciados ou não. De acordo com o TJMG, a magistrada pode decidir julgamentos diferentes para os acusados. Dessa forma, se houver uma decisão por um julgamento no Tribunal do Júri, pode ser que nem todos sejam julgados por este tribunal. E os crimes pelos quais os réus são acusados podem sofrer alterações no julgamento. O Tribunal de Justiça explicou que esta fase do processo não tem prazo definido.

Fonte: g1, www.g1.com.br