Audiência tem ironia do goleiro Bruno e choro de Bola

Durante a audiência, Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, teve uma crise compulsiva de choro

Nove testemunhas foram ouvidas pela juíza Ana Paula Lobo Pereira de Freitas na audiência sobre o desaparecimento e morte de Eliza Samudio, nesta quinta-feira (7), em Vespasiano, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Os depoimentos foram realizados durante quase seis horas ? das 13h40 às 19h30. Aproximadamente 40 minutos depois do fim da sessão, o goleiro e os outros oito réus deixaram o fórum da cidade e foram levados à penitenciária.



Durante a audiência, Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, teve uma crise compulsiva de choro quando o filho dele foi convocado pela magistrada para depor. ?Como o senhor é filho do réu, não vou ouvi-lo como testemunha de defesa porque o senhor tem interesse no caso. Vou ouvi-lo apenas como informante?, disse a juíza.

Com o choro descontrolado, Bola precisou usar oxigênio para ajudá-lo na respiração que parecia ofegante. Os bombeiros mediram a pressão dele que apontou 16 por 10, considerada alta.

O ex-policial foi retirado da sala e foi levado a um espaço anexo para receber atendimento. Quando terminou o depoimento, o filho se encontrou reservadamente com o pai.

Os réus Luiz Henrique Romão, o Macarrão; Sérgio Rosa Sales; Elenilson Vitor da Silva; Flávio Caetano de Araújo; Wemerson Marques de Souza, o Coxinha; Dayanne Souza e Fernanda Gomes de Castro também compareceram à audiência.

Bruno

Depois de retornar para a sala de audiência, o goleiro Bruno, sentou-se, primeiramente, ao lado de Dayanne Souza e, depois, de Fernanda de Castro. Ele cochichou durante vários minutos com ambas.

Ele também ficou sentado no meio de Sérgio Rosa Sales e Luiz Henrique Romão, o Macarrão. Bruno puxou a orelha de Sales e disse: ?Pensa naquilo que eu te falei?.

A juíza dispensou a presença do goleiro na próxima audiência em Ribeirão das Neves, mas ele respondeu à magistrada que participaria porque, dessa maneira, venderia mais jornal.

Posteriormente, por orientação da defesa, ele voltou atrás na decisão e disse que não iria mais.

Ana Paula remarcou outra audiência em Vespasiano para o dia 21 de outubro, às 13h. Nesse encontro, ele ouvirá as quatro testemunhas de Santos que não falaram nesta quinta-feira (7) e a única de defesa de Dayanne.

Entenda o caso

O goleiro Bruno é réu no processo que investiga a morte de Eliza Samudio. A Justiça de Minas Gerais aceitou a denúncia do Ministério Público contra Bruno e outros oito envolvidos no desaparecimento e morte de Eliza. Fernanda Gomes de Castro, namorada de Bruno, foi presa em Minas Gerais.

O goleiro; Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão; Sérgio Rosa Sales; Dayanne Souza; Elenilson Vítor da Silva; Flávio Caetano; Wemerson Marques; e Fernanda Gomes de Castro vão responder na Justiça por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado, ocultação de cadáver e corrupção de menor. Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, é o único que responderá por dois crimes. Bola foi denunciado por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Todos os acusados negam o crime. As penas podem ultrapassar 30 anos.

A pedido do Ministério Público, a Justiça decretou a prisão preventiva de todos os acusados. Com essa medida, eles devem permanecer na cadeia até o fim do julgamento. Em 2009, Eliza teve um relacionamento com o goleiro Bruno, engravidou e afirmou que o pai de seu filho é o atleta. O bebê nasceu no início de 2010 e, agora, está com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul.

Fonte: g1, www.g1.com.br