Avião que caiu em cemitério nos Estados Unidos e matou 14 não tinha caixa preta

Entre os adultos, seis chegaram a estudar no mesmo colégio e universidade

Os 14 mortos do avião de pequeno porte que caiu de nariz em um cemitério em Butte, em Montana (EUA), no domingo (22) eram de três famílias da Califórnia que viajavam para esquiar em um resort em Big Sky, no mesmo estado.

Das vítimas, sete eram crianças com idades de 1 a 9 anos, segundo o jornal ?The New York Times? (veja lista das vítimas abaixo). Entre elas, cinco eram netos de um dos donos da aeronave, um Pilatus PC-12, Irving Feldkamp III, que perdeu ainda duas filhas no acidente, conforme o diário americano. Ele não estava no voo porque viajou de carro com a mulher e uma filha para o resort.

?Estavam todos muito animados?, afirmou ele para a agência de notícias ?Associated Press?.

Entre os adultos, seis chegaram a estudar no mesmo colégio e universidade, onde se formaram em áreas médicas.

O avião tinha capacidade para 10 pessoas, mas segundo autoridades, por contar com crianças de até 2 anos, o número que excedia a limitação não chegou a quatro, mas de duas pessoas.

Sem caixa preta

As autoridades, porém, disseram que ainda é cedo para apontar o que provocou o acidente. E afirmaram que a investigação pode durar meses justamente pelo fato de o avião não ter caixa preta ou arquivos de rádios. O piloto, Ellison Summerfield, de 65 anos, também não enviou nenhum sinal de emergência.

Uma das suspeitas é que a temperatura baixa e a formação de gelo na cabine possa ter provocado o acidente.

O cemitério Holy Cross fica a cerca de 150 metros da pista do aeroporto Bert Mooney, em Butte.

A mídia americana publicou os nomes das vítimas, além do piloto: Erin e Amy Jacobson, e os três filhos: Taylor, de 4 anos, Ava, de 3 e Jude, de 1 ano; Michael e Vanessa Pullen, e os dois filhos: Sydney, de 9 anos, e Christopher, de 7 anos; e o casal Brent e Kristen Ching, com os filhos Heiley, de 5 anos, e Caleb, de 3 anos.

Fonte: g1, www.g1.com.br