Bandidas da "gangue das loiras" usavam só grifes, afirma vítima

Bandidas da "gangue das loiras" usavam só grifes, afirma vítima

"Me chamou a atenção que a moça tinha uma ótima aparência, um cabelo muito bonito, com bolsa de grife, óculos de alta grife", contou.

Uma das vítimas da "gangue das loiras" disse nesta quinta-feira (22) que a mulher que a atacou usava bolsa e óculos de uma grife cara. Segundo a mulher atacada, que pediu para não ser identificada, a criminosa era de boa aparência e a abordou em seu carro no estacionamento de um hipermercado na Zona Sul da capital paulista, quando foi anunciado o sequestro-relâmpago, em novembro do ano passado. A vítima disse ter tido um prejuízo de R$ 5 mil. Nesta quarta-feira (21), ela fez o reconhecimento fotográfico da suspeita detida.

"Me chamou a atenção que a moça tinha uma ótima aparência, um cabelo muito bonito, com bolsa de grife, óculos de alta grife", contou. A vítima afirma ter sido abordada por um homem e uma mulher. Os criminosos a levaram para um shopping. O homem fez compras e saques com os cartões bancários e a mulher ficou com a vítima no carro.

Até esta quarta-feira, dez vítimas fizeram o reconhecimento fotográfico das mulheres suspeitas de integrar a "gangue das loiras", segundo a Polícia Civil. A polícia informou ainda que outros dois homens foram identificados suspeitos de participarem da "gangue das loiras". Apenas uma mulher havia sido presa até esta quarta-feira.

As mulheres de classe média alta são suspeitas de participação em pelo menos 50 crimes. Segundo a polícia, elas abordavam mulheres e idosas nas proximidades de estacionamentos e shoppings. De acordo com as investigações, a quadrilha agia desde 2008. Nesse período, é suspeita de ter cometido uma média de três roubos por semana. Os policiais da delegacia especializada em sequestro-relâmpago investigavam o grupo havia dois meses.

Fonte: G1