Bebê de 15 dias morre no Pará com manchas com suspeita de agressão

Criança morreu na manhã deste domingo (1º), após parada cardiorrespiratória

Uma bebê de 15 dias, com hematomas no corpo e um braço deslocado, morreu depois de uma parada cardiorrespiratória na manhã deste domingo (1º), no Pronto Socorro Municipal (PSM), em Santarém, oeste do Pará. A criança estava internada no PSM desde a madrugada. Segundo a médica de plantão que preferiu não ser identificada, a suspeita é que a recém-nascida tenha sido vítima de maus tratos. ?Ela estava com deslocamento no ombro, hematoma intenso e extenso no braço direito, escoriações no couro cabeludo e nas mãos. É uma situação sugestiva de maus tratos já que uma criança nessa idade não tem condições de fazer esses tipos de lesões em si própria?, explicou.

O Conselho Tutelar foi comunicado da situação pelos médicos e solicitou o laudo pericial para identificar as causas da morte. ?Constatamos a situação, a criança está com hematomas. O braço da criança estava deslocado, e a criança está com bastante manchas roxas , como se fosse algo batido?, confirmou a conselheira tutelar, Rose Silva.

Os pais da bebê foram ouvidos pelo Conselho Tutelar. A mãe Josiele Pinheiro, de 23 anos, afirmou que a criança não foi espancada. ?Ninguém bateu na minha filha não. Eu não fiz nada para a minha filha. Não sei o que foi. Ela não caiu porque ficava direto no berço, eu cuidava dela, tratava bem da minha filha?, garantiu Josiele.

O padrasto na criança, Ednei Rafael de Castro, de 24 anos, não soube explicar o que pode ter acontecido com a criança, mas informou que o problema no braço da bebê foi constatado depois de um passeio. ?A criança estava com a minha mãe e irmã. Elas pegaram o bebê ontem à tarde para passear. Acho que elas pegaram de mau jeito a criança?.

Os pais da vítima informaram ainda que estavam com dificuldades para alimentar a criança. Em entrevista à TV Tapajós, eles disseram que devido ao problema levaram a bebê em uma unidade de saúde. ?Ela não mamava mais, não tinha mais força para mamar. Levamos ela no [posto] 24h e mandaram comprar o remédio, nós demos para ela. Disseram que se ela piorasse era para a gente levar no hospital, fizemos isso, mas ela não foi salva?, lamentou Rafael.

O Conselho Tutelar deve registrar o caso na Delegacia de Polícia Civil e tomar as providências. "Nós vamos verificar a situação e encaminhar ao Ministério Público, ao poder judiciário, órgãos competentes?, informou a conselheira Rose.

Fonte: G1