Bebê é levado para hospital com suspeita de queimaduras de cigarro

A mãe da criança é a única fumante da residência.

A Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) investiga o caso de um bebê que apresentava marcas de queimadura de cigarro pelo corpo. A criança, que tem apenas dez meses e foi encaminhada para o Hospital de Monte Castelo, é do sexo masculino e apresentou, segundo o laudo médico, marcas de suposta violência física.

De acordo com Djan Moreira, conselheiro tutelar, a hipótese de estupro, em virtude de inflamações nas partes íntimas da criança, já foram descartadas a partir do exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal de Teresina (IML). “Foram dois peritos que fizeram exames na criança. A violência sexual foi descartada, mas há feridas por conta do desleixo, descuido”, disse.

A casa do bebê fica na Vila Uruguai, na zona Leste de Teresina. No local, além do recém-nascido de apenas 10 meses, moram uma bisavó e dois irmãos, sendo um de 4 e outro de 11 anos. A mãe da criança é a única fumante da residência e , segundo informações, sofre de um transtorno mental. 

A denúncia foi feita pelo companheiro da avó materna, que mora nos fundos. A mãe já foi ouvida e o caso segue sendo investigado. “Quem mora nas casa é suspeito. Nós já colhemos vários depoimentos. Existem suspeitos, mas são eles quem vão investigar, apurar”, afirmou Djan.

O conselheiro confirmou que foram encontradas marcas de queimadura de cigarro. “No pescoço e no cotovelo, sugestiva de queimadura de cigarro”, declarou.

Caso está sendo investigado
Caso está sendo investigado




Fonte: Portal Meio Norte