Bebê que morreu após ser jogado no lixo está no IML

Após a liberação, o corpo ficará aos cuidados da Vara da Infância e da Juventude.

O corpo do bebê que foi jogado no lixo de um hospital em Jundiaí, cidade a 65 km de São Paulo, estava no IML (Instituto Médico Legal) por volta das 9h30 deste sábado (30). Segundo o órgão, ele ainda não tinha passado por necropsia no horário.

Após a liberação, o corpo ficará aos cuidados da Vara da Infância e da Juventude. A criança ficou internada por três dias no hospital Dr. Sacramento, apóe ter sido jogada no lixo e, portanto, terá que ser registrada antes do sepultamento.

O recém-nascido morreu no hospital na noite desta sexta-feira (29). De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, a criança teve hemorragia pulmonar de forte intensidade e sofreu paradas cardíacas.

Parto

A mãe foi até o conjunto hospitalar na manhã de terça-feira (26) para passar no ginecologista. Assim que entrou na sala do médico, falou que estava sentindo fortes dores e pediu para ir ao banheiro. Depois de alguns minutos saiu da sala, conversou com o médico, pegou a transcrição de um remédio e foi embora.

Uma enfermeira que usou o banheiro encontrou o bebê no lixo e acionou os funcionários da limpeza. A criança, do sexo masculino, nasceu com 1,5 kg e tinha 34 semanas de gestação.

Polícia

A jovem de 20 anos que deu a luz no banheiro do hospital disse em depoimento à polícia, na manhã de quinta-feira (28), que não sabia que estava grávida.

A mulher deu a declaração na DIG (Delegacia de Investigações Gerais), acompanhada dos pais, logo após receber alta médica. De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Antônio Dota Junior, ela disse que foi ao hospital porque sentia fortes dores abdominais oriundas de uma cólica menstrual.

- Durante o atendimento, ela disse que sentiu vontade de evacuar. No banheiro, ela expeliu uma espécie de plaqueta menstrual, que ela embrulhou no papel e jogou no lixo. Segundo ela, no retorno à consulta médica, ela foi medicada e liberada.

Fonte: r7.com