Beira-Mar fica sem advogado e seu julgamento poderá ser adiado; saiba

Beira-Mar está sem defesa no processo e precisará de um prazo para escolher novo advogado ou ser atendido pela Defensoria Pública.

Marcado para o próximo dia 23, no Fórum de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, o julgamento de Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar , por homicídio, deve ser adiado. Na última quinta-feira, o advogado do traficante, Wellington Costa Júnior, renunciou ao caso. Beira-Mar está sem defesa no processo e precisará de um prazo para escolher novo advogado ou ser atendido pela Defensoria Pública.

- É provável que o júri seja adiado, sim. O Luiz Fernando tem que ser notificado em Catanduvas (onde está na penitenciária federal), e então ter um prazo para constituir novo defensor. É o que deve acontecer. Vamos esperar - diz Costa Júnior.

O advogado deixou a defesa do traficante no caso por alegar que as interceptações telefônicas da ação são ilegais, feitas sem autorização judicial. No processo, Beira-Mar é acusado de ter ordenado, por telefone, a morte do estudante de informática Michel Anderson Nascimento dos Santos, em 1999. As ligações telefônicas nas quais o criminoso acompanha o desenrolar da tortura sofrida pela vítima foram interceptadas e estão no processo.

O defensor de Beira-Mar diz ainda que influenciou em sua decisão o fato de que o júri será realizado em Caxias. Wellington havia pedido ao Tribunal de Justiça do Rio que o julgamento fosse realizado no fórum da capital, mas o pedido foi negado no fim do ano passado.

- Era mesmo por uma questão de segurança, mas meu pedido não foi aceito - lamentou o advogado.

Duque de Caxias é o reduto do traficante. Foi na cidade que ele nasceu, e seu apelido, Beira-Mar, vem do nome de uma favela da cidade, a primeira na qual ele comandou o tráfico. Segundo coluna de Ancelmo Gois, do ?Globo?, do último sábado, o Disque-Denúncia (2253-1177) recebeu informação de que o fórum de Caxias seria invadido no dia do julgamento.

Fonte: Extra