Blindados, carros de traficantes viram viaturas improvisadas no MS

Blindados, carros de traficantes viram viaturas improvisadas no MS

Veículos foram apreendidos pela Polícia e cedidos a presídio pela Justiça.

Quando um criminoso é preso. Tudo o que ele adquiriu com o dinheiro ilícito fica sob responsabilidade do Estado. O problema é que como a Justiça pode levar anos para julgar um caso, o patrimônio vai se deteriorando. É o que acontece, por exemplo, com os veículos, que, em muitos casos, se tornam um problema para a Polícia.

Um mar de veículos apreendidos, que entope o pátio da Polícia Federal em Campo Grande. Seiscentos deles eram usados por traficantes e contrabandistas em Mato Grosso do Sul. De acordo com a Justiça Federal, por causa da burocracia para conseguir leiloar esses bens, muitas vezes os carros, caminhonetes, caminhões e carretas passam anos expostos ao sol e a chuva. Muitos estão tão deteriorados que só podem ir para o ferro-velho.

Como na Justiça não existe um departamento para administrar esses bens, os veículos ficam abandonados em meio ao mato alto. Existem casos de caminhões apreendidos há mais de dez anos.

Enquanto os veículos não são leiloados, a Justiça Federal em Mato Grosso do Sul tem conseguido nos tribunais autorização para utilizar alguns deles no combate ao crime organizado.

Dois modelos com características especiais estão a serviço da direção da Penitenciária Federal de Campo Grande.

Banco de couro, câmbio automático, velocidade máxima de 320 quilômetros por hora, mas além de todo esse luxo, os traficantes também eram preocupados com a segurança. Além dessas características os carros ainda são totalmente blindados e resistem até a tiros de fuzil.

?Os traficantes usam carros de luxo, normalmente veículos blindados, para a proteção pessoal. Não existe dúvida nenhuma que o crime organizado, não só o tráfico de drogas, mas o crime organizado de um modo geral está muito mais equipado que a Polícia?, diz o juiz federal Odilon de Oliveira.

Mais de 90% das viaturas oficiais hoje não possuem qualquer tipo de blindagem.

Os dois veículos que estão a serviço da direção da Penitenciária Federal de Campo Grande estão avaliados em R$ 600 mil. Ferramentas do crime, que hoje ajudam a melhorar a estrutura da segurança pública.

?É preciso que os investimentos sejam grandes aqui em Mato Grosso do Sul, porque é por aqui que são apreendidas as grandes quantidades de drogas e de bens, provenientes do crime organizado?, diz o secretário de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, Wantuir Jacini.

No caso de imóveis, a Justiça pode colocar o bem para locação e o valor do aluguel é depositado em juízo até que o caso seja julgado.

Fonte: g1, www.g1.com.br