Bombeiro condenado é suspeito de tentar matar testemunha

A testemunha foi baleada em 25 de junho, na Cidade de Deus, mas sobreviveu

Foragido desde 19 de agosto de 2006, quando fugiu do Grupamento Especial Prisional (GEP) do Corpo de Bombeiros depois de ter sido condenado a 19 anos de prisão por um assassinato, o cabo bombeiro Sidney Jorge Belchior da Silva, o Sid Boi, de 46 anos, é suspeito de tentar matar, em junho deste ano, uma testemunha que depôs contra ele na Justiça. Atualmente há pelo menos dois mandados de prisão contra o militar.

A testemunha foi baleada em 25 de junho, na Cidade de Deus, mas sobreviveu. Pessoas que presenciaram o crime disseram na 32ª DP (Taquara) que o autor dos disparos foi Sid Boi. Após o crime, o bombeiro escapou mais uma vez, sem deixar pistas. Amedrontada, a testemunha se mudou da Cidade de Deus com sua família, após ter alta hospitalar.


Bombeiro condenado por crime é suspeito de tentar matar testemunha

Em 7 de agosto de 2006, Sid Boi foi condenado a 19 anos de prisão e a perda da função pública pelo assassinato do mototaxista Jumariê de Santana Mathias Belot. O crime ocorreu em 13 de dezembro de 2003, também na Cidade de Deus. A vítima, então com 27 anos, foi morta com 20 tiros.

O bombeiro Sidney Jorge Belchior da Silva, o Sid Boi, está foragido desde 2006 O bombeiro Sidney Jorge Belchior da Silva, o Sid Boi, está foragido desde 2006 Foto: Divulgação

Na noite em que foi condenado, após deixar o 2º Tribunal do Júri, Sid Boi foi levado para o GEP, em Benfica. O cabo, entretanto, escapou da unidade 12 dias depois.

Na ocasião, Sid Boi estava no pátio, recebendo a visita da mulher. Às 17h, término da visitação, ele pediu autorização ao sentinela para beijar a mulher, que já estava próximo à entrada do quartel. O cabo passou pelo portão e pulou o muro, com dois metros de altura. Do lado de fora, um homem de moto esperava.

A mãe de Jumariê, Fátima Vacol, de 54 anos, diz que há um mês recebeu três ligações em que um homem dizia que ela ia morrer.

? Se ele (Sidney) já matou meu filho e tentou matar uma testemunha, a próxima da lista sou eu, já que também depus contra ele na Justiça. Preciso de proteção do Estado.

O site deixou recado na caixa postal do advogado de Sidney, mas ele não retornou até o fechamento desta edição. O Corpo de Bombeiros informou que o Sidney é considerado desertor e que o GEP já realizou diversas operações para recapturá-lo.

Fonte: Extra, extra.globo.com