Brasileira presa no Equador volta ao Brasil: "Policiais me bateram"

Ela afirmou estar aliviada porque tinha voltado.

No dia 13 deste mês milhares de manifestantes foram para as ruas protestar no Equador. Entre eles, se encontrava a jornalista brasileira Manuela Picq, que acabou sendo detida por policiais e teve o seu visto cancelado pelas autoridades. Na manhã do último sábado (21), ela chegou ao Brasil e afirmou estar aliviada por ter voltado.

Segundo ela, durante a manifestação ela foi agredida pelos policiais e perdeu parcialmente a visão do olho por algumas horas. “A minha maior vontade era chegar no Brasil, vou fazer exames para saber se tive alguma sequela porque fui muito agredida, perdi a visão do olho esquerdo”, contou ela onde foi abraçada com carinho pela mãe.

O chanceler equatoriano, Ricardo Patiño afirmou porque cancelou o visto da jornalista. “Nós cancelamos porque ela estava fazendo atividades políticas e de violência com agressão ao patrimônio histórico”, declarou.

De acordo com Manuela, até o dia 13 a sua situação migratória no país estava legal. "Eu fui detida ilegalmente pela polícia, de certo modo sequestrado pelo estado durante cinco dias, eu fiquei no centro de detenção onde tem muitas coisas ilegais passando. Na segunda-feira (17) a resolução da juíza declarou que a minha detenção era ilegal, que a anulação do meu visto no dia seguinte também era ilegal e pediu a investigação disso", afirmou.

Image title

Image title


Fonte: Com informações do G1