Briga em balada de SP teria causado morte no McDonald’s, diz delegado

Jovem de 18 anos foi assassinado no estacionamento do McDonald"s.

O delegado Antonio de Olim, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), disse na manhã desta sexta-feira (7) que uma briga em uma balada pode ter provocado a morte de um jovem de 18 anos no estacionamento do McDonald?s na esquina da Rua Henrique Schaumann com a Avenida Rebouças, na Zona Oeste de São Paulo.

Policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) disseram que a discussão teria começado por causa de uma mulher. A moça teria envolvimento com os agressores e a vítima se aproximou e conversou com ela durante a festa, despertando o ciúmes do criminoso. A briga começou em frente à balada e se estendeu até o estacionamento da lanchonete, segundo a polícia.

Câmeras de segurança registraram o assassinato e serão analisadas para ajudar na localização dos criminosos. Dois suspeitos são procurados, segundo Olim. Ele descartou a hipótese de latrocínio. Uma primeira informação da polícia apontava que o jovem poderia ter sacado dinheiro em um banco na região e ter sido assaltado.

Segundo Olim, as câmeras mostram três carros chegando à lanchonete por volta das 6h30 desta sexta-feira. Dois carros estacionam dentro, um deles com o adolescente assassinado, e outro para fora da área reservada aos clientes.

Dois rapazes deixaram o carro e se aproximaram do grupo que estava no McDonald"s. Após uma breve discussão, um deles atirou no jovem e fugiu em um dos automóveis. Esses mesmos veículos foram filmados na região da Avenida Marquês de São Vicente, na Zona Oeste, onde ficaria a balada onde estavam os adolescentes.

Briga na balada

Policiais do DHPP disseram que a primeira briga do grupo ocorreu em frente à casa noturna. O jovem assassinado tem marcas de mordidas nas costas e um ferimento no pé que a polícia acredita terem sido causados nesse confronto. Depois, os cinco amigos da vítima seguiram em dois carros e os dois suspeitos, em um terceiro.

O grupo seguiu para um McDonald"s na região, mas a unidade da lanchonete estava fechada. Houve neste local uma nova briga entre os suspeitos e os amigos. Depois, todos seguiram para a lanchonete na Henrique Schaumann, que funciona 24 horas, com o carro dos criminosos sempre atrás do comboio.

Depois da nova discussão no estacionamento, o adolescente foi atingido por quatro tiros: um na cabeça e três nas costas. Ele chegou a receber atendimento, mas morreu ainda no local. Por volta das 9h30, com o fim da perícia, o corpo foi levado ao Instituto Médico-Legal (IML).

Família

Fábio Cléber da Silva, que esteve na lanchonete na manhã desta sexta e se identificou como primo da vítima, disse que o jovem ?não se envolvia em brigas e não tinha inimigos?. Segundo ele, o jovem chama Diego Ribeiro Cassas e acabou de completar 18 anos.

A família mora na Zona Leste e a vítima trabalhava com o pai, com produtos de limpeza. O adolescente queria estudar gastronomia. ?Hoje em dia está muito complicado sair de casa, a gente sempre orienta nossos familiares sobre o risco, mas a violência está insuportável.?

Uma assessora de imprensa do McDonald"s, que está no local nesta manhã, informou que o estabelecimento funciona normalmente, apesar do isolamento de parte do estacionamento para o trabalho da perícia. A empresa informa ainda que está colaborando com as investigações.

Fonte: G1