Brigas de casais terminam em mortes e bebê queimado em três casos durante o fim de semana

Brigas de casais terminam em mortes e bebê queimado em três casos durante o fim de semana

Os três casos aconteceram no último fim de semana

Três brigas de casais acabaram em tragédia no último fim de semana na capital e em Santo André, na Grande São Paulo. Em duas discussões, maridos mataram as mulheres a facadas. Em outro caso, um bebê de um ano e sete meses teve parte do corpo queimado.

Por volta da 0h de sábado (1º), Adriana Soares Padilha, de 32 anos, foi assassinada pelo marido a facadas, na casa deles, na Penha, zona leste da capital. José Batista dos Santos Filho foi preso por policiais militares. Ele confessou o crime. O motivo da discussão foi ciúmes, segundo os policiais. O homem desconfiou que a companheira havia saído com outra pessoa. Inconformado, ele pegou uma faca e golpeou a vítima ao menos quatro vezes, no pescoço.

Foi também com facadas no pescoço que Antônia Celma Lima Alves, de 29 anos, foi assassinada na noite de sábado, na frente dos filhos: uma menina de nove anos e gêmeos de um ano e meio. O crime aconteceu na casa onde ela e o marido moravam. Ele está foragido e é o principal suspeito.

A briga começou porque a mulher foi a uma festa. Quando o marido chegou, ela já estava em casa, com os filhos. Vizinhos ouviram a discussão. Após assassinar Antônia, o ajudante de pedreiro José Ilton Jesus Silva avisou aos parentes dele o que havia acontecido e fugiu. O caso está sendo investigado pelo 92º Distrito Policial (Parque Santo Antônio).

Outra briga de casal por pouco não acabou com a morte de um bebê de um ano e sete meses, em Santo André, no ABC, na noite de domingo (2). O menino teve mais de 20% do corpo queimado após a mãe dele atear fogo nas roupas do marido. Um frasco de desodorante aerossol jogado por ela explodiu e as chamas atingiram o filho do casal, que estava próximo.

A criança foi socorrida à Santa Casa de Misericórdia de Santo André e está internada em estado grave. Na delegacia, a mãe, de 27 anos, disse que não imaginava que o frasco poderia explodir. O delegado entendeu o caso como um acidente e liberou a mãe. Ela vai responder por lesão corporal culposa.

Vizinhos relataram que em outra ocasião a mulher chegou a jogar álcool no marido e por pouco não ateou fogo nele. O homem disse que vai se separar dela.

Fonte: r7