Polícia investiga ida de goleiro Bruno a motel com amante antes da suposta morte de Eliza

Polícia investiga ida de goleiro Bruno a motel com amante antes da suposta morte de Eliza

Camareira disse que se surpreendeu ao encontrar fralda em sofá

A polícia investiga a suposta presença do goleiro Bruno de Souza, que era do Flamengo, em um motel de Contagem (MG). Segundo depoimentos já ouvidos pelos delegados, ele esteve no estabelecimento na mesma época em que Eliza Samudio teria sido morta. A jovem teve um relacionamento com o atleta e está desaparecida desde o início de junho.

A recepcionista de um motel, em Contagem (MG), disse à polícia que, em 5 de junho, por volta das 19h20, chegaram dois carros ao estabelecimento, cada um com três pessoas.

Duas suítes foram alugadas pelo grupo. Segundo a funcionária, o homem que dirigia um dos veículos pediu uma unidade com hidromassagem. Nesse local, ficaram três pessoas, sendo dois homens e uma mulher.

A testemunha contou que, a cada 30 minutos, algumas pessoas trocavam de quarto. Uma das suítes tem dois andares. No primeiro, há uma cama de casal e um sofá. No segundo, banheira de hidromassagem.

Fontes ligadas à investigação confirmam que Bruno esteve no motel, depois de um jogo do Flamengo. A polícia trabalha com a hipótese de que duas mulheres faziam parte do grupo: uma delas seria a então namorada do atleta e outra, Eliza Samudio.

O grupo deixou o motel em 6 de junho, às 13h19. A conta foi paga com o cartão de débito do jogador. O valor: R$ 431,90.

Quando a camareira foi fazer uma limpeza no quarto, depois da saída, um detalhe chamou a atenção: havia uma fralda no sofá.

Preocupação

Uma das testemunhas disse, em depoimento, que ela e outras duas funcionárias do motel vasculharam uma suíte procurando vestígios de sangue, sacudiram os lençóis e os travesseiros, mas nada foi encontrado. A preocupação era porque havia uma criança no quarto.

Os registros da portaria do condomínio do sítio de Bruno, em Esmeraldas, registram entradas do goleiro em dois dias, nessa mesma época: 6 e 9 junho. Segundo a polícia, a provável data do assassinato de Eliza é 9 de junho.

Fonte: g1, www.g1.com.br