Encerradas buscas pelo corpo de Eliza Samudio em sítio

Encerradas buscas pelo corpo de Eliza Samudio em sítio

Denúncia anônima à polícia dizia que corpo está enterrado no local.

O Corpo de Bombeiros encerrou, na tarde desta terça-feira (28), as buscas pelo corpo de Eliza Samudio em um sítio em Esmeraldas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A propriedade era do goleiro Bruno, e foi vendida há seis meses. Uma denúncia anônima à polícia feita pelo Disque Denúncia informava que havia uma ossada próximo à entrada do sítio, entre duas palmeiras. Nada foi encontrado no local escavado.

De acordo com o delegado regional em Ribeirão das Neves e Esmeraldas, Hamilton Figueiredo, as buscas não devem ser retomadas sobre esta denúncia. "Nossos trabalhos estão encerrado". Segundo o delegado, também não é possível afirmar que a denúncia se tratou de um trote.

Figueiredo disse que a perícia da Polícia Civil permanece no sítio para fazer o levantamento de dados recolhidos nesta terça-feira (28).

A escavação foi feita com picaretas, no ponto indicado pelo denunciante. O advogado do novo dono do sítio, Rodrigo Miranda, disse ao G1 que a autorização para escavação foi dada pelo seu cliente. O defensor ainda disse que as informações da denúncia eram vagas quanto à exatidão do local onde estaria o corpo.

Agentes da Polícia Militar (PM), da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros estiveram no condomínio do sítio que pertencia ao goleiro Bruno Fernandes na noite desta segunda-feira (27) após a denúncia, mas não puderam entrar pela falta de mandado de busca de apreensão.

Eliza Samudio era amante do jogador e, segundo denúncia do Ministério Público de Minas Gerais, foi morta em junho de 2010. O corpo nunca foi localizado.

Caso Eliza Samudio

O goleiro Bruno Fernandes e mais sete réus foram pronunciados a júri popular no processo sobre o desaparecimento e morte de Eliza Samudio, ex-namorada do jogador. Para a polícia, Eliza foi morta em junho de 2010 na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e o corpo nunca foi encontrado.

Após um relacionamento com o goleiro Bruno, Eliza deu à luz um menino em fevereiro de 2010. Ela alegava que o atleta era o pai da criança. Atualmente, o menino mora com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul.

O goleiro e o amigo Luiz Henrique Romão vão a júri popular por sequestro e cárcere privado, homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. A Justiça havia atribuído as mesmas acusações a Sérgio Rosa Sales, mas ele respondia o processo em liberdade. Ele foi encontrado morto no dia 22 de agosto de 2012. Já o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos também está preso e vai responder no júri popular por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver.

Na fase de inquérito sobre o desaparecimento e morte de Eliza, Sales e outro primo do goleiro Bruno ? Jorge Luiz Rosa, 19 anos ? contribuíram com informações à polícia. Segundo a investigação, eles estiveram com Eliza no sítio do jogador, em Esmeraldas (MG). Atualmente, Rosa cumpre medida socioeducativa, pois foi apreendido quando ainda era adolescente.

Dayanne Rodrigues, ex-mulher do goleiro; Wemerson Marques, amigo do jogador, e Elenílson Vítor Silva, caseiro do sítio em Esmeraldas, respondem pelo sequestro e cárcere privado do filho de Bruno. Já Fernanda Gomes de Castro, outra ex-namorada do jogador, responde por sequestro e cárcere privado de Eliza e do filho dela. Eles foram soltos em dezembro de 2010 e respondem ao processo em liberdade. Flávio Caetano Araújo, que chegou a ser indiciado, foi inocentado.

Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), não há previsão de data para o julgamento do caso Eliza Samudio.

Fonte: G1