Cabeleireiro é preso por falsificações em Fortaleza

Em posse de carteiras de identidade com os nomes falsos ele conseguia outros documentos

Um homem que falsificava certidões de nascimento para obter cartões e documentos que lhe possibilitassem assumir diferentes personalidades foi preso, esta semana, pela Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF). Pelo menos cinco nomes falsos foram utilizados pelo golpista. Heryjúnior Matos de Lima, cabeleireiro, tinha até um pequeno salão de beleza. Assim mesmo, junto com uma amiga, entrou para o mundo do crime. ´Nem eu entendo o porquê de ter feito isso´, disse.

Em posse de carteiras de identidade com os nomes falsos ele conseguia outros documentos, abria conta em bancos e tirava cartões de crédito. Há pelo menos seis meses vinha realizado compras no comércio de Fortaleza com a documentação falsificada. ´Ele comprou de tudo: desde peças para automóveis até caixas de uísque. Pelo que descobrimos, sempre eram compras menores, mas realizadas com freqüência´, revelou o delegado Jaime Paula Pessoa Linhares, titular da Delegacia de Defraudações.

Entre os nomes falsos usados por Heryjúnior estavam os de: Erijúnior Matos Carneiro, Erijúnior Oliveira de Souza, Marcelo Matos de Lima e Erijúnior Martins de Lima. ´Para cada um dos nomes falsos havia uma certidão de nascimento falsificada´, acrescentou Jaime. Entre as carteiras de identidade apreendidas com ele havia documentos expedidos em Mossoró, no Rio Grande do Norte; Rio Branco, no Acre; Águas Belas e Moreno, em Pernambuco; São Luis do Curu e Senador Pompeu, no Ceará.

O cabeleireiro foi autuado em flagrante por tentativa de estelionato, falsificação de documentos públicos e particulares, falsa identidade e falsidade ideológica.

O flagrante aconteceu durante mais um golpe, dentro de um grande supermercado da Capital. ´Ele e sua comparsa Tatyane Chirlei Souza estavam fazendo um cadastro e funcionários do estabelecimento desconfiaram. Fizemos uma rápida investigação e constatamos que utilizavam nomes falsos´, explicou o delegado.

Tatyane fugiu. O titular da DDF vai pedir sua prisão preventiva. ´Ela também usava nome falso e entre as compras de realizou de forma fraudulenta, financiou um carro que eles estavam utilizado´, contou. Um dos nomes falsos que ela usou foi Ivana Tavares Paes, conforme material apreendido.

Artifícios

Para o delegado Jaime Paula Pessoa, os artifícios utilizados pelos golpistas vem sendo cada vez mais aprimorados. ´Antes falsificavam identidades. Agora, falsificam certidões de nascimento. E a oferta de crediário no mercado é tão grande que, muitas vezes, os documentos falsos passam sem nenhuma dificuldade´, explicou.

Segundo ele, o caso do cabeleireiro preso exemplifica bem esta facilidade. ´Uma pessoa que tem uma profissão, um meio de ganhar a vida, descobre o leque de opções no mundo do estelionato. E começa devagar, vai se aperfeiçoando, se junta a outros na prática do crime´, destacou.

Fonte: Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br