Cabo da Polícia Militar é acusado de matar o próprio filho

Segundo o delgado Jorge Luís, da Delegacia de Ingá, ele e mais quatro testemunhas devem ser ouvidas pela Polícia Civil.

O cabo do 2º Batalhão da Polícia Militar de Campina Grande que é suspeito de ter espancado e atirado contra o próprio filho de 15 anos durante uma festa no município de Ingá, no Agreste da Paraíba, se apresentou à polícia na manhã desta quinta-feira (5).

Segundo o delgado Jorge Luís, da Delegacia de Ingá, ele e mais quatro testemunhas devem ser ouvidas pela Polícia Civil. O suspeito pode responder por lesão corporal de natureza grave e até por tentativa de homicídio. A vítima já foi ouvida na delegacia.

O delegado Jorge Luís explicou que a confusão ocorreu no dia 28 de dezembro e, pelo relato do adolescente, a discussão começou quando o cabo de 40 anos xingou a ex-mulher. O filho não gostou dos insultos e os dois brigaram. Ainda segundo o relato do adolescente, em um determinado momento o policial militar sacou a arma e atirou no tornozelo do filho que foi socorrido. Como estavam em uma festa, a polícia suspeita que ambos estavam embriagados.

O rapaz já foi submetido ao exame de corpo de delito no Instituto de Medicina Legal (IML) e o delegado Jorge Luís aguarda o resultado para acrescentar as informações às investigações.

Fonte: G1