Câmeras não identificam estuprador de menor em ônibus

O delegado se surpreendeu que motorista e cobradora não ouviram qualquer barulho nem perceberam movimentação estranha

O delegado da 15ª Delegacia de Polícia (Gávea) do Rio de Janeiro, Fábio Barucke, afirmou que não foi possível identificar pelas câmeras de segurança o suspeito de ter estuprado uma menina de 12 anos em ônibus da linha 162 (Glória/Leblon), da Viação São Silvestre, na tarde de quarta-feira. A investigação trabalha com o auxílio de ligações para o disque-denúncia para tentar chegar ao criminoso.

Pelas gravações das câmeras de segurança do ônibus, no entanto, foi possível chegar ao tipo físico do suspeito: ele é mulato, mede cerca de 1,6 m, usa o cabelo raspado, possui uma mancha no braço direito e vestia blusa vermelha e calça no momento do crime. O delegado se surpreendeu que motorista e cobradora não ouviram qualquer barulho nem perceberam movimentação estranha no coletivo durante os 14 minutos que demorou o estupro. "É estranho. Mas o suspeito levou a vítima para o fundo do ônibus e só havia os dois dentro do veículo num primeiro momento", afirmou Barucke.

O crime

Na tarde de quarta-feira, ao entrar no ônibus, o suspeito exigiu, segurando uma arma, que a menina sentasse na parte traseira do veículo. Ali ele consumou o crime e mudou de lugar. Depois, assediou outra mulher, que reagiu com um grito. Como chamou atenção, o homem fugiu para outro coletivo no Jardim Botânico, sentido São Conrado.

A menina compareceu à delegacia para fazer a denúncia em companhia da mãe, que estava em estado de choque. A vítima, segundo o delegado, estava machucada e foi encaminhada à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) para tomar um coquetel Anti-HIV.

Informações sobre o acusado podem ser repassadas à 15ª DP por meio do telefone (21) 2332-2905 ou pelo Disque-Denúncia (21) 2253-1177.

Fonte: Terra