Caminhoneiro é preso acusado de estuprar criança de 9 anos em Oeiras

O caminhoneiro Cleto Barbosa Leal, foi acusado de abusar de uma menor de 09 anos

Mais um caso de abuso de menor foi registrado em Oeiras. Desta feita, o caminhoneiro Cleto Barbosa Leal, foi acusado de abusar de uma menor de 09 anos.

Image title

O caminhoneiro é acusado de estupro de vulnerável por ato libidinoso diverso da conjunção carnal (Quando não há o ato sexual). Ele foi preso em uma diligência realizada pela Policia Civil e Militar. O crime aconteceu na Avenida Transamazônica em uma churrascaria do pai da menor.

Segundo o delegado Paulo Cezar, existem duas testemunhas que flagraram o acusado praticando o abuso. O acusado era amigo do pai da menor e tinha certa liberdade na churrascaria de sua propriedade. Ele chegou ao local e encontrou na calçada a tia da vítima juntamente com uma amiga e perguntou se o dono estava lá e já entrou na cozinha para pegar carne. A menor estava na sala assistindo televisão. Ele pegou a menina levou para a cozinha, levantou seu vestido, abriu a calça e começou a esfregar seu órgão genital na criança. Ele ainda tentou beijá-la mas a menor conseguiu se esquivar", detalha o delegado.

Paulo Cezar relata ainda que a tia da menor ao estranhar a demora do acusado no interior da churrascaria, entrou e viu que a criança não estava mais assistindo TV. Desconfiada, ela entrou devagar com a amiga e flagraram o crime sendo praticado.

O delegado ouviu as duas testemunhas e também a versão detalhada da criança e afirma que não há contradição entre elas.

O acusado nega e disse que realmente entrou para comer carne, e afirma que a tia está mentindo, pois não houve nenhuma prática de abuso sexual contra a menor, que foi submetida a exames no Hospital Regional Deolindo Couto e foi constatado que não há vestígios.

Todavia, diante da contundência dos fatos, e do depoimento das duas testemunhas, ele foi preso em flagrante, e deverá responder por estupro de vulnerável por ato libidinoso diverso da conjunção carnal (Quando não há o ato sexual).

O inquérito está prestes a ser concluído e o acusado continua preso na Delegacia Regional de Oeiras.

Fonte: Mural da Vila