Cantor pega 41 anos de prisão por matar consultor da ONU

Ele e outros dois homens são acusados de matar Vítor de Athayde Couto Filho em julho de 2006.

O cantor e pedreiro, José Raimundo da Paixão, conhecido como Abelha, foi condenado a 41 anos de prisão, na madrugada desta quinta-feira. Ele e outros dois homens são acusados de matar o consultor da ONU, Vítor de Athayde Couto Filho, de 34 anos, em julho de 2006. O julgamento começou na quarta-feira, no Fórum Ruy Barbosa, em Salvador (BA).

José Raimundo da Paixão, Juraci Oliveira dos Santos e Carlos Alberto dos Santos foram condenados por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e furto qualificado. Juraci e Carlos cumprirão 41 e 25 anos de reclusão, respectivamente.

Assassinato

José Raimundo da Paixão devia ao economista R$ 1 mil. Como não tinha como pagar a dívida, Vítor sugeriu que Abelha quitasse o empréstimo com serviço de pedreiro. Paixão não cumpriu o acordo e foi cobrado por Vítor. Isso foi o suficiente para que Abelha premeditasse o crime.

No dia 19 de julho, uma semana depois do crime, a polícia encontrou o corpo de Vítor na Estrada Velha do Aeroporto (EVA). Abelha foi preso depois que câmeras de um banco o flagraram sacando dinheiro com um cartão do economista.

Vítor Athayde Couto Filho era economista, professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e consultor da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação.

Fonte: Terra