Justiça de SP condena cantor Hudson por posse ilegal de armas

Justiça de SP condena cantor Hudson por posse ilegal de armas

A sentença, dada pelo juiz da 1ª Vara Criminal, Rogério Danna Chaib, era de três anos e seis meses de reclusão

O cantor Hudson foi condenado pela Justiça de Limeira a prestar serviços comunitários e a pagar quatro salários mínimos mensalmente em favor de entidade de combate ao câncer de Limeira durante três anos e seis meses. A pena é resultante do processo por posse ilegal de armas. O cantor prestou depoimento na tarde desta quarta (18) no Fórum de Limeira.

A sentença, dada pelo juiz da 1ª Vara Criminal, Rogério Danna Chaib, era de três anos e seis meses de reclusão, mas foi convertida em pena restritiva de direitos.

Em março, munições de uso restrito de forças policiais foram encontradas na casa do cantor, o que resultou na prisão dele por quatro dias. Durante a audiência, o cantor confessou que ganhou munições de calibre 45 sem saber que elas eram de uso restrito.

Ao invés da reclusão, Hudson deverá pagar quatro salários mínimos por mês à Alicc (Associação Limeirense de Combate ao Câncer) durante dois anos, e, por um ano e seis meses deverá prestar serviços à comunidade, que serão estabelecidas pelo Juízo de Execuções Criminais. Ainda cabe recurso à decisão de primeira instância.

Reincidente

Outro caso envolvendo porte ilegal de armas pelo cantor corre na 2ª Vara Criminal, mas, para este processo, ainda não foram realizadas audiências.

Na madrugada de 20 de março, Hudson foi detido quando se dirigia à casa da ex-mulher. No carro, foram encontradas duas armas de fogo para as quais ele não tinha porte. Ele foi liberado após pagamento de fiança.

No mesmo dia, foi cumprido mandado de busca e apreensão na casa dele, onde foram encontradas as armas não regularizadas e munições de uso restrito. Hudson acabou ficando preso por quatro dias.

Fonte: UOL