Cão farejador passa mal após ser usado em apreensão de cocaína

Cão farejador usado na maior apreensão de cocaína pura já realizada na Região Nordeste passou mal

O cão farejador usado na maior apreensão de cocaína pura já realizada na Região Nordeste passou mal e teve que entrar em licença por recomendações de um médico veterinário. O pastor alemão mordeu dois sacos de gesso após suspeitas sobre uma carga acondicionada em cinco contêineres na região metropolitana do Recife no sábado. Foram encontrados aproximadamente 530 kg da droga nos sacos.

O cão, chamado Nauê, foi adestrado para ter contato com a droga e era o único cachorro farejador em atividade da Polícia Federal. A superintendência do órgão anunciou nesta segunda-feira que começou a investigar o percurso feito pela droga. Os policiais agora querem ouvir todos os envolvidos no transporte da carga, do motorista do caminhão aos dirigentes da empresa exportadora.


Cão farejador passa mal após ser usado em apreensão de cocaína

A investigação quer saber, entre outros pontos, como a droga foi inserida nos sacos de gesso. A cocaína com alto grau de pureza estava escondida em sacolas plásticas de 15 kg que foram colocadas dentro de sacos de 40 kg de gesso. Os contêineres tinham 3.500 sacos de 40 kg. De acordo com o delegado responsável pela apreensão, Nilson Antunes da Silva, a cor, textura e aparência geral da droga eram praticamente iguais as do pó de gesso. A polícia ainda vai abrir 3.470 sacos de gesso, que podem ter mais droga escondida.

A logística envolvida, o volume de recursos utilizado, a quantidade de droga reunida e a estratégia de embarque para um porto da África antes de chegar à Europa levaram o delegado Nilson Antunes a dizer que a operação é típica do crime organizado. "Quem fez essa operação de tráfico internacional sabia o que estava fazendo, tinha experiência e conhecimento", disse.

A carga foi classificada como suspeita a partir do serviço de inteligência da Receita Federal. O superintendente da PF, Luiz Fernando Teixeira Nunes, disse que ao verificar os dados da empresa exportadora, a polícia começou a desconfiar da falta de experiência e conhecimento em negociação com cargas daquele tamanho. Depois, foram averiguados os dados dos proprietários da exportadora junto à Receita Federal. "Também incompatíveis com a operação", disse Luiz Fernando Nunes.

Essa foi a primeira apreensão de drogas feita no Porto de Suape, que tende a se tornar um entreposto exportador de gesso. A região do Sertão do Araripe, em Pernambuco, é o maior produtor de gesso do país, sendo responsável por mais de 80% da produção de gesso para construção. A produção de gesso hoje viaja o país por via rodoviária, mas deverá fazer uso da Ferrovia Transnordestina, que ligará o sertão ao cais e terá como portos de escoamento Suape, em Pernambuco, e Pecem, no Ceará.

O ano de 2011 é o ano das maiores apreensões de drogas realizadas pela superintendência da PF em Pernambuco . Já foram apreendida 300kg de pasta base de cocaína, 25,2kg de crack e 1,4t de maconha. Durante 2010, apenas 10,1kg de cocaína foram apreendidos.

Fonte: Terra, www.terra.com.br