Carta de menina morta pela companheira da mãe revela medo

Ana Beatriz de Souza foi morta no último dia 15 de julho, dentro da própria casa

As mensagens deixadas pela menina de 13 anos morta a socos por uma boxeadora, namorada da própria mãe, em Praia Grande, no litoral de São Paulo, podem revelar detalhes da personalidade e dos sentimentos da jovem. A análise feita pelo grafólogo João Martins mostra que a garota mesclava sentimentos de inferioridade com desconfiança, medo e até ressentimento. Uma das cartas seria entregue para Ana Luiza Ferreira, mãe da vítima, e a outra para Elizabeth Fernandes dos Santos, suspeita de ser a assassina.



Ana Beatriz de Souza foi morta no último dia 15 de julho, dentro da própria casa, no Jardim Anhanguera. Além da mãe, que já está presa, Elizabeth e José Bento de Souza, ex-marido de Ana Luiza, também são suspeitos de participar do crime e estão foragidos. O corpo da menina foi encontrado na Rodovia Anchieta com várias fraturas e ferimentos pelo corpo, além de sinais de esganadura. Segundo o delegado responsável pelo caso, as cartas foram anexadas ao processo e provam que a garota não tinha um bom relacionamento com a família.

As mensagens deixadas pela menina de 13 anos morta a socos por uma boxeadora, namorada da própria mãe, em Praia Grande, no litoral de São Paulo, podem revelar detalhes da personalidade e dos sentimentos da jovem. A análise feita pelo grafólogo João Martins mostra que a garota mesclava sentimentos de inferioridade com desconfiança, medo e até ressentimento. Uma das cartas seria entregue para Ana Luiza Ferreira, mãe da vítima, e a outra para Elizabeth Fernandes dos Santos, suspeita de ser a assassina.

Ana Beatriz de Souza foi morta no último dia 15 de julho, dentro da própria casa, no Jardim Anhanguera. Além da mãe, que já está presa, Elizabeth e José Bento de Souza, ex-marido de Ana Luiza, também são suspeitos de participar do crime e estão foragidos. O corpo da menina foi encontrado na Rodovia Anchieta com várias fraturas e ferimentos pelo corpo, além de sinais de esganadura. Segundo o delegado responsável pelo caso, as cartas foram anexadas ao processo e provam que a garota não tinha um bom relacionamento com a família.

Leia os bilhetes na íntegra

?Mãe, não sou uma boa filha, mas não estou fazendo essa carta para que você chore ou fique com pena, só quero que saiba que eu te amo muito. Mesmo não acreditando. Sou sua filha, mas às vezes sinto como se fosse uma intrusa nessa família. Mesmo assim te amo e gosto muito de você, da Beth e do Luiz. Desculpa por ser assim tão desobediente, é meu jeito?.

?Beth, sei que tenho te tratado muito mal, mas quero que saiba que não é porque não gosto de você, mas sinto que às vezes sou intrusa. Fico muito sozinha e estressada. Mas eu gosto muito de você e sei que sente saudade das suas filhas?.

Fonte: G1