Casal é morto depois de mulher chantagear homem que abusava de seu filho

A PM chegou até Santos na noite de ontem, por meio de denúncia anônima

A PM (Polícia Militar) prendeu ontem (6), em Americana (127 km de São Paulo), o porteiro Jurandir José dos Santos, 51, acusado de matar o casal Maria do Socorro Nascimento e Nelson do Nascimento em Sumaré, no dia 14 de dezembro, em Sumaré (118 km de São Paulo). À polícia, ele alegou que Maria do Socorro descobriu que ele abusava do filho dela, de 10 anos, e teria exigido que ele passasse para o nome dela uma casa em troca do silêncio sobre o crime.

Santos foi interrogado hoje à tarde na Delegacia Secional de Americana e confessou o duplo homicídio e o estupro do menor, de acordo com o delegado Marcelo Moreschi, titular do 3° DP (Distrito Policial) de Sumaré, onde tramita o inquérito sobre os dois assassinatos. Santos estava desaparecido desde o dia 15 de dezembro, quando os corpos foram encontrados pela polícia.

A PM chegou até Santos na noite de ontem, por meio de denúncia anônima. Ele foi abordado em um clube de Americana e com ele os policiais apreenderam uma arma calibre ponto 45 e quatro munições intactas. Ele foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma. Moreschi afirmou ainda que ele vai responder processos por dois crimes de homicídio, ocultação de cadáver, pedofilia e estupro de menor.

O caso

Santos era o proprietário do imóvel onde o casal vivia, que fica no Jardim Viel, e morava nos fundos. As vitimas eram locatárias da casa.

Segundo o depoimento de Santos, três dias antes do crime, Maria do Socorro flagrou o filho sendo abusado, na residência dos fundos e, para não entregá-lo à polícia, teria exigido que ele passasse o imóvel alugado no nome dela.

A casa vale aproximadamente R$ 100 mil, segundo imobiliárias da cidade. "Aparentemente, eles viviam em paz. Não havia brigas, mas o dono da casa sempre foi meio estranho, assustador", disse a vizinha C.A.C, 32, que pediu para não ser identificada pelo nome.

Santos também afirmou ao delegado Moreschi que dava dinheiro ao garoto em troca de sexo. Ele teria dado R$ 30 em três ocasiões e obrigava o fazer sexo anal e oral com ele.

Crime

Maria do Socorro e Luiz Nascimento foram mortos no dia 14 de dezembro. Alertada pelo filho de Maria do Socorro, uma vizinha foi até a casa da família e encontrou o corpo de ambos enterrados na garagem da casa. Santos admitiu que, no dia 14 de dezembro, às 21h, foi até o quarto do casal e os matou com vários golpes de marreta e facão.

Depois, cavou um buraco na garagem do imóvel, enrolou os corpos em tapetes e os enterrou no local, colocando um colchão ensanguentado em cima. "Quando eu cheguei lá, tinha muito sangue", disse o menino, na ocasião.

O criminoso informou que as vítimas estavam embriagadas e não chegaram a acordar. O menino, segundo ele, estava em outro cômodo e não ouviu o barulho.

Como tem contra ele um mandato de prisão preventiva por conta do estupro do menor, expedido em 21 de dezembro, Jurandir José dos Santos foi encaminhado, na tarde de hoje, para o CDP (Centro de Detenção Provisória) de Sorocaba, unidade específica para receber presos acusados desse delito.

A polícia estuda pedir, nos próximos dias, a prisão preventiva dele pelo crime de duplo homicídio e ocultação de cadáver.

De acordo com informações policiais, o menor está morando com familiares em outra cidade, que não foi informada por razões de segurança.

O porteiro não havia constituído advogado até esta segunda e a polícia não permitiu o acesso ao suspeito.

Fonte: UOL