Justiça de Minas mantém juíza no caso Eliza

Justiça de Minas mantém juíza no caso Eliza

Goleiro é réu no processo sobre desaparecimento e morte de Eliza

Os desembargadores da 4ª câmara do Tribunal de Justiça de Minas Gerais decidiram, no início da tarde desta quarta-feira (25), que a juíza Marixa Fabiana Lopes Rodrigues, do 1º Tribunal do Júri de Contagem, na região Metropolitana de Belo Horizonte, é competente para julgar o caso de desaparecimento e morte de Eliza Samudio, ex-namorada do goleiro Bruno. O pedido de mudança de comarca havia sido feito pela defesa do goleiro. O advogado Ércio Quaresma alegava que o suposto crime teria ocorrido em Vespasiano e não em Contagem, segundo o próprio inquérito.

Com a definição desta quarta-feira, todas as decisões referentes ao caso tomadas pela juíza, inclusive as prisões dos réus, que serão mantidas. De acordo com TJMG, a juíza apresentou a defesa e explicou que várias medidas cautelares foram requisitadas na Comarca de Contagem, como prisões temporárias dos investigados, buscas e apreensões e quebra de sigilo telefônico e dados cadastrais dos investigados.

Ainda de acordo com a assessoria do TJMG, Marixa Fabiane Lopes afirmou que, no inicio das investigações, as suspeitas eram de que o crime teria ocorrido dentro do sítio de Bruno, em Esmeraldas, na região Metropolitana de Belo Horizonte, que fica localizado no limite das Comarcas de Contagem e Esmeraldas.

Quaresma disse que vai entrar com uma ação pelo mesmo motivo no Superior Tribunal de Justiça (STJ). ?Nós vamos esperar publicar só o resultado do julgamento (da competência da juíza Marixa) e vamos ao STJ?. O advogado embarca para o Rio de Janeiro na tarde desta quarta-feira (25) para acompanhar a audiência à qual Bruno foi intimado, sobre o seqüestro e cárcere privado de Eliza Samudio, que teria acontecido em outubro de 2009.

O goleiro Bruno e seu amigo Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, réus no processo sobre o desaparecimento e morte de Eliza Samudio, devem ir para o Rio de Janeiro nesta quinta-feira (26). Os dois serão transferidos para participarem da primeira audiência marcada do processo em que são acusados pelos crimes de sequestro, cárcere privado e lesão corporal contra Eliza em outubro de 2009, ao supostamente tentarem fazer com que ela abortasse o filho que seria do atleta.

Bruno e Macarrão estão presos na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Fonte: g1, www.g1.com.br