Caso Hernesto: Polícia Civil responde sobre não ter realizado perícia

Caso Hernesto: Polícia Civil responde sobre não ter realizado perícia

Inquérito policial foi instaurado pela Polícia Civil para apurar as responsabilidades pela morte do garoto Hernesto

Um inquérito policial foi instaurado pela Polícia Civil para apurar as responsabilidades pela morte do garoto Hernesto. No entanto, uma questão tem gerado grandes discussões: porque a polícia não realizou a perícia no local no dia do acidente.

?O garoto em um primeiro momento ele foi socorrido e isso alterou o local. É como uma situação de incêndio onde os bombeiros coloca a água para neutralizar a ação do fogo. Então a perícia é feita em um momento posterior e constatada essa perícia, alguns elementos serão necessários que a Eletrobras informe. É o relatório da ocorrência do dia, as especificações do material, o que foi constatado de irregularidade ou de alteração no fornecimento de energia?, de acordo com o Delegado Geral, James Guerra.



O delegado geral explicou ainda que todas essas informações serão somadas ao tipo de material utilizado, à descarga que foi produzida e isso será associado ao exame médico que foi produzido pelo IML.

?O somatório dessas informações é que constará no laudo pericial da polícia civil. Agora o que se pode adiantar do laudo apresentado pelo IML, que foi um resultado inclusive óbvio, é que o garoto morreu por uma eletrocutação, um choque de uma voltagem muito alta. Isso ocasionou inclusive a amputação de membros e outros resultados que impactam muito forte na pessoa. É o que compromete a segurança da instalação na prestação de serviços da distribuição de energia em relação a esse episódio?, pontua James Guerra.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, após a morte do garoto Ernesto ainda foi realizada uma perícia no local, que mesmo violado por ações externas, ainda manteve alguns elementos do acidente. Após o resultado do laudo pericial, e apuradas as responsabilidades, os acusados serão indiciados pelo crime de homicídio.

?Só mesmo depois da perícia, dos depoimentos e das informações que foram prestadas é que poderemos dizer se o homicídio foi culposo ou doloso ou se é um outro resultado possível. A gente tem experiência com outros casos como o daquela senhora que foi vítima na Avenida Presidente Kennedy que houve falha na segurança e prestação do serviço elétrico e indiciou por homicídio culposo, três diretores da Eletrobras. Não sabemos o encaminhamento disso na Justiça, mas em termos de Polícia Civil o inquérito foi apurado?, finaliza James Guerra.

Fonte: Marcilany Rodrigues