Caso Mércia: Denúncia contra suspeitos será hoje

Também será pedida a prisão preventiva do ex-namorado da advogada e do vigia

O promotor Rodrigo Merli Antunes deve entregar nesta segunda-feira (2) denúncia contra os dois suspeitos do assassinato da advogada Mércia Nakashima. Na semana passada, Merli recebeu a cópia de toda a investigação da polícia, mas aguardou a volta do juiz Bittencourt Cano, que estava de férias e deve ser quem receberá a denúncia.

No documento, o promotor denuncia Mizael Bispo, ex-namorado de Mércia, por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima) e por ocultação de cadáver. Já o vigia Evandro Bezerra da Silva será denunciado por homicídio duplamente qualificado (meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima).

A advogada desapareceu no dia 23 de maio e seu corpo foi encontrado em uma represa de Nazaré Paulista, no interior de São Paulo, no dia 11 de junho. Um dia antes, os bombeiros haviam encontrado o carro de Mércia no local.

Na última sexta-feira (30), Merli e o advogado da família da vítima, Alexandre de Sá Domingues, listaram 16 pessoas que podem ser testemunhas da acusação no processo do assassinato da advogada. Entre elas estão Márcio e Cláudia Nakashima, ambos irmãos de Mércia; um funcionário do posto de combustível que viu Bispo conversando com o vigia; e o pescador que diz ter presenciado o momento em que o carro da advogada foi jogado na represa de Nazaré Paulista, no interior de São Paulo.

Investigação

O inquérito foi concluído por Antônio de Olim, delegado responsável pelo caso, na última terça-feira (27). O documento tem cerca de 1.600 páginas e inclui um mapa cartográfico com a movimentação dos suspeitos no dia do crime. Esse trabalho só foi possível com a quebra do sigilo telefônico de Bispo e Silva, que mostrou onde eles estavam quando receberam ou fizeram ligações, e também com dados do rastreador do veículo do ex-namorado de Mércia.

Junto com o inquérito, o delegado já anexou um pedido de prisão preventiva para os dois suspeitos. Na semana passada, o promotor já adiantou que deve concordar com a solicitação. Se acatado o pedido, Bispo e Silva devem ficar presos até o julgamento. Atualmente, somente vigia está preso no 1º Distrito Policial de Guarulhos.

Fonte: R7, www.r7.com