Casos de estupro crescem 30% em três anos na capital

Este ano já foram registrados 7 crimes de estupro só na Delegacia da Mulher do centro

O número de casos de estupro registrados no Estado do Piauí aumentou em 30% nos últimos três anos. De 2010 a 2012, são 41 casos. Em 2010, a Delegacia registrou 17 crimes; no ano de 2011 foram 12, e em 2012, o número cresceu e chegou a 22 casos, 10 casos a mais do que foi registrado em 2011.

Só este ano, já foram registrados pela Delegacia Especializada da Mulher do centro sete crimes de estupro. Destes, mais da metade foram coletivos, o que representa ainda mais agressividade nesses delitos.

Só na última quarta-feira, a Delegacia registrou dois casos. O primeiro deles de uma jovem de 20 anos, que foi vítima de estupro dentro de sua própria casa.

Segundo a delegada Vilma Alves, os criminosos esperaram apenas o momento em que seu marido foi trabalhar e introduziram um pedaço de madeira na vagina da jovem.

?Casos como esses são cada vez mais frequentes. Este ano tivemos o caso do pai que aliciou a filha de 13 anos, durante 5 anos. Ele abusava da filha de duas a três vezes por dia. Tivemos também aquele em que o próprio irmão estuprou a irmã e depois a matou.

Isso vem acontecendo com frequência e deixando marcas permanentes na vida dessas pessoas?, lamenta a delegada ao frisar que quando as vítimas são crianças as consequências psicológicas são incalculáveis.

?De qualquer forma o estupro já é dramático, hediondo, com perfil de crueldade elevadíssima. E as marcas deixadas por ele são piores nas crianças, porque elas não sabem se manifestar, ficam desacreditadas, elas engolem sozinhas.

Nos muitos casos as menores ficam presas ao pai, ao padastro ao irmão, vivenciando uma tortura psicológica?, acrescenta a delegada.

Hoje os crimes hediondos, de acordo com a delegada, ultrapassam o limite do Código Penal. As leis existem, mas não alcançam a falta de respeito que existe na sociedade.

Crimes audaciosos são cada vez mais comuns e a população está entrando em estado de desespero. ?O estupro foge de todas as atitudes humanas. Imagine uma criança numa situação dessas? Ela não tem como se defender.

O que falta é o respeito à vida do outro e esse tipo de violência está espalhado em todos os ambientes, o que é lamentável. Ninguém está imune a isso?, declara Vilma Alves.

Para a delegada, a castração química seria uma pena mais ?adequada? para os criminosos. A castração química é uma forma temporária de castração ocasionada por medicamentos hormonais para reduzir a libido, como medida preventiva ou de punição àqueles que tenham cometido crimes sexuais.

?Tem que dar injeção para causar a impotência desses criminosos. É uma forma de pena atualizada para que esses estupradores impiedosos que fazem isso tenham essa pena pelo crime impensado, hediondo, que praticaram contra uma mulher?, finaliza.

2013 já contabiliza quatro estupros coletivos no Piauí

Estupros coletivos são registrados em todo o Brasil com frequência. No Piauí, esse número tem aumentado especialmente no interior. Em 2013, quatro mulheres foram vítimas de estupro coletivo no Piauí. Os municípios onde ocorreram o crime foram Barra Grande, Curimatá, Altos e José de Freitas.

Entre as vítimas estão duas menores de idade, sendo uma deficiente mental.

Em Barra Grande, uma mulher de iniciais L.S.V., de 43 anos, foi violentada por três homens no dia 11 de fevereiro, na praia de Barra Grande, município de Cajueiro da Praia, litoral do Piauí.

Segundo o delegado Eduardo Ferreira, de Luís Correia, a mulher estava em um bar, quando um dos homens a convidou para irem a outro lugar. Ela recusou e um dos acusados a puxou pelo braço e arrastou até a praia.

No município de Curimatá o caso envolveu uma jovem portadora de deficiência física e mental. No dia 3 de abril policiais do município de José de Freitas prenderam quatro jovens acusados de estupro coletivo contra ela. Outra vítima de estupro coletivo foi uma mulher de iniciais F. S. S. A, 44 anos.

Quatro homens são acusados de espancá-la e violentá-la, no município de Altos. As agressões aconteceram em uma casa abandonada e a vítima passou por cirurgia no Hospital de Urgências de Teresina (HUT).

Na cidade de José de Freitas, uma jovem de 16 anos e mãe de um bebê de nove meses foi vítima de estupro coletivo. O ex-companheiro da jovem foi apontado como o articulador da ação criminosa que envolveu mais três homens por vingança.

Fonte: Aline Damasceno