Celular na cena do crime pode ajudar a responsabilizar suspeito

Celular na cena do crime pode ajudar a responsabilizar suspeito

O delegado Mateus Cintra Andrade, que realizou a prisão do criminoso, disse que o rapaz caiu em contradição em seu depoimento

Após ser identificado pelo filho que testemunhou a morte de seu pai e de seu irmão durante tentativa de assalto na zona leste de São Paulo, o suspeito de envolvimento no crime nega que tenha participado dos assassinatos. No entanto, o delegado Mateus Cintra Andrade, que realizou a prisão do criminoso, disse que o rapaz caiu em contradição em seu depoimento. Além disso, outro indício da participação dele no crime é um celular de sua suposta namorada encontrado no local do latrocínio. Pai e filho foram mortos na última sexta-feira (22).

A polícia prendeu o suspeito neste sábado (23). Ele foi detido após roubar um estabelecimento comercial na mesma região do crime, no Itaim Paulista, na zona leste. Segundo a polícia, Daniel Ferreira Feitosa de Morais, de 20 anos, foi o autor dos disparos que mataram Natanael Rodrigues, de 47 anos, e Diego Rodrigues, de 20 anos. Pai e filho estavam na porta de casa manobrando os carros da família, para ir trabalhar, quando foram surpreendidos por dois criminosos.

Segundo a Polícia Militar, no dia do crime os criminosos trocaram de carro após os assassinatos e fizeram uma sequência de roubos a estabelecimentos comerciais entre as 17h e 21h daquele dia. Eles levaram dinheiro, carteira, relógios e celulares de 15 vítimas. A Polícia Civil trabalha com a hipótese de que seis homens participaram dos arrastões, entre eles o assassino de pai e filho e dois menores de 13 e 17 anos.

Por volta das 21h, no último dos assaltos, o mais novo dos criminosos entrou no estabelecimento comercial e anunciou o assalto. O dono do local não se intimidou com o menino e chegou a pegar um taco de sinuca para tentar afastá-lo. O comerciante foi baleado no lado direito do tórax, encaminhado ao pronto-socorro do Hospital Santa Marcelina e tem quadro estável.

Após o roubo, a força tática da Polícia Militar capturou Daniel, o menor de 13 anos e mais um homem ? cujo nome e idade não foram especificados ? na casa de um dos criminosos. Eles foram encaminhados ao 50º Distrito Policial. Os outros três bandidos foram identificados, mas ainda estão sendo procurados.

Andrade notou a semelhança na forma de atuação da quadrilha que fez os arrastões e a morte do pai e do filho. O delegado foi ao local onde os corpos estavam sendo velados, no Cemitério da Saudade, em São Miguel Paulista, e pediu que uma das testemunhas fizesse o reconhecimento dos criminosos.

? O irmão e filho das vítimas foi chamado e reconheceu Daniel sem sombras de dúvidas, descreveu com detalhes a pinta do lado esquerdo e a cicatriz do lado direito do rosto.

A polícia acredita que o menor de 13 anos tenha participado do assassinato de pai e filho. As testemunhas estão sendo convocadas para fazer o reconhecimento dos criminosos.

Fonte: r7