Cercado pela polícia, traficante preso tentou se esconder atrás da sua filha

Os policiais precisaram então retirá-lo do comôdo pela janela

Preso nesta segunda-feura numa casa de luxo na Praia de Tucuns, em Búzios, na Região dos Lagos, o traficante Bruno Eduardo da Silva Procópio, o Piná, ao se ver cercado pela polícia, tentou se esconder atrás da mulher e da filha de 2 anos, que estavam em um dos quartos. Os policiais precisaram então retirá-lo do comôdo pela janela. Já seu comparsa, Eduardo Fernandes de Oliveira, o 2D, tentou escapar por um terreno nos fundos do imóvel, mas acabou voltando para o imóvel ao ver o cerco dos helicópteros. Piná é um dos chefes do tráfico no Complexo da Penha, e 2D comando o vizinho Alemão.


Cercado pela polícia, traficante preso tentou se esconder atrás da mulher e da filha

Para capturar a dupla, equipes da subsecretaria de inteligência da Seseg estavam desde quinta-feira na praia de Tucuns. A confirmação de que os traficantes estavam na casa chegou às 5h desta segunda-feira. A Polícia Civil foi acionada e, em menos de sete horas, uma força conjunta organizou a operação para prendê-los.

- As equipes da inteligência do estado passaram o fim de semana inteiro lá, porque sabiam mais ou menos a área em que eles estaria - afirmou o delegado Sérgio Sahione Ferreira, que participou da ação.

No fim da manhã de segunda, os criminosos foram surpreendidos por 15 agentes das polícias Federal e Civil e da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança, que cercaram o imóvel por volta das 11h40m. A dupla foi trazida para o Rio de helicóptero e, mais tarde, encaminhada para a unidade de segurança máxima de Bangu 1, no Complexo de Gericinó, Zona Oeste.

Os dois criminosos estavam entre os bandidos mais procurados do Rio, e pertencem à maior facção criminosa do estado. Eles são apontados pela polícia como responsáveis, junto com Luís Claudio Machado, o Marreta, que está foragido, pelo planejamento e execução da série de ataques às UPPs da região, no mês passado.

Apesar de terem viajado, não deixaram de ordenar ataques. De acordo com o chefe de operações da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da PF, Carlos Eduardo Tomé, Piná e 2D foram os responsáveis por autorizar, no último sábado, as ações violentas no Morro do Caramujo, em Niterói.

- Essas duas prisões são fundamentais. Com a captura do FB (Fabiano Atanázio da Silva, ex-chefe do tráfico no Complexo da Penha, preso em janeiro de 2012), eles ganharam ainda mais força na facção - afirmou Tomé.

Foi no Caramujo, dominado pela mesma facção da qual fazem parte, que Piná e 2D tinham buscado abrigo, no mês passado, após a polícia apertar o cerco no Alemão e na Penha. Na ocasião, o Bope ocupou a região.

Eles ficaram em Niterói até a semana passada, quando retornaram para seus redutos. De lá, partiram para a viagem do feriadão.

Fonte: Extra