Com balas de borracha, PM aborta fuga em Fortaleza

Os presos atearam fogo nas próprias roupas, garrafas plásticas, sacolas e no lixo

Fogo nas celas, destruição, tumulto. Assim começou uma rebelião, ontem pela manhã, na carceragem do 15ºDP (Cidade 2000). Por volta das 9h30, 11 presos que ocupavam uma das celas se revoltaram e atearam fogo nas próprias roupas, garrafas plásticas, sacolas e no lixo que tinha sido produzido por eles mesmos. Ao todo, 22 presos dividiam as duas celas daquele distrito policial, a maioria acusada de praticar furtos e assaltos.

Quando o motim teve início, apenas um inspetor, um permanente e um escrivão estavam na delegacia. Os três policiais solicitaram reforço, através da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops), mas apenas uma hora depois uma viatura do Comando Tático Motorizado (Cotam), do Batalhão de Polícia de Choque (BpChoque), chegou ao local do incidente.

Os presos balançavam as grades, todos juntos, tentando arrancá-las. Destruíram lâmpadas e a câmera do circuito interno de TV. Gritavam, cantavam, xingavam os policiais. Pessoas que chegavam para solicitar Boletins de Ocorrência (B.O.s) desistiam, temendo o que poderia ocorrer.

Quando a patrulha do Cotam chegou ao local, o xadrez foi aberto e entraram quatro policiais. Um deles disparou tiros com balas de borracha, contra a parede, para que os presos saíssem das celas. No primeiro momento, os detentos se recusaram a sair dos xadrezes.

Depois de retirados da cela, foram todos revistados. Os ânimos foram contidos e todos colocados de volta ao xadrez.

Tentativa

?Na noite de segunda-feira (20), naquela mesma cela, houve uma tentativa de fuga. Os presos desmontaram um ventilador e utilizaram peças do aparelho para cavar um buraco na parede. Só não houve uma fuga em massa porque percebemos a tempo e tomamos providência?, destacou o delegado Maurício Tindô, titular do 15ºDP. Esta foi a terceira rebelião ocorrida naquela distrital, somente este ano. Desta vez, o assaltante Douglas Almeida Félix, conhecido como ´Gema´, foi identificado como sendo o líder do movimento. Ele tinha sido preso no bairro Serviluz e, na ocasião, resistiu à prisão e fez ameaças aos quatro policiais do Ronda do Quarteirão que o capturaram.

?Ele também já ameaçou de morte todos os policiais da delegacia. Disse que, quando for solto, vai voltar para matar todos nós?, contou um inspetor do 15ºDP.

Há alguns meses o 15ºDP vem sendo notícia pelas ocorrências de fugas, tentativas de fugas e rebeliões. Há 30 dias, a delegacia comportava 40 presos, em uma situação de extrema superlotação.

?Conseguimos reduzir o número de presos mas a agitação continua. Esperamos que, com a conclusão das duas novas Casas de Custódia, possamos esvaziar os xadrezes da delegacia e o problema?, disse Tindô.

Constantes

Cerca de 900 presos estão, atualmente, nas carceragens das delegacias distritais, metropolitanas e especializadas na Capital e RMF. Nos quatro primeiros meses de 2009 já foram registradas 11 ocorrências de fugas nas DPs. No total, 84 detentos conseguiram escapar das DPs de Fortaleza.

A última fuga aconteceu na noite de domingo passado, no 5º DP (Parangaba), quando escaparam os detentos Washington da Silva, Paulo André da Silva, José Edvard Mendonça de Lima, Diego Nascimento da Silva, Josenir Rodrigues da Silva, João Paulo Mendonça da Silva, Francisco Wanderlan de Castro, Francisco Josivan da Silva, Francisco Jardel Ramalho de Castro, Welber Gomes dos Santos e Johnny Washington Coelho.

Fonte: Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br